search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

SUS quer voltar com cirurgias sem urgência em agosto

Notícias

Publicidade | Anuncie

Saúde

SUS quer voltar com cirurgias sem urgência em agosto


Paciente é atendida em unidade hospitalar por profissional de saúde (Foto: Divulgação)
Paciente é atendida em unidade hospitalar por profissional de saúde (Foto: Divulgação)

Na rede pública, o governo do Estado está se preparando para retomar as cirurgias e consultas eletivas com especialistas em agosto.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que os procedimentos cirúrgicos eletivos, cirurgias ambulatoriais eletivas, consultas e exames ambulatoriais especializados foram suspensos, como definido por portaria, com base em nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A Sesa frisou, ainda, que cirurgias oncológicas, cardiovasculares e de urgência e emergência estão sendo realizadas.

Além disso, ressaltou que a qualquer sinal de agravamento do quadro clínico do cidadão, o paciente pode buscar a rede de assistência de urgência e emergência. “A urgência da pandemia e o comportamento desconhecido do vírus, além do perigo do espalhamento nos ambientes cirúrgicos, foram motivadores das orientações das sociedades médicas.”

Agora, a secretaria frisou que está construindo um plano com critérios para a retomada das consultas e cirurgias eletivas.

Para isso, está organizando a rede própria para que em meados de agosto, tendo uma redução sustentada durante três semanas de casos novos, óbitos, número de pacientes graves e ocupação de UTI, possa colocar em prática uma agenda para restabelecer as atividades de maneira segura.

Cirurgias

Segundo o secretário da Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista nas últimas semanas, cerca de 12 mil procedimentos deixaram de ser feitos nos últimos meses na rede pública de saúde do Estado. Ele frisou, ainda, que a retomada das cirurgias irá ocorrer de forma gradual.

De acordo com Nésio Fernandes, na ocasião, estava ainda sendo estudado como será esse retorno e quem terá prioridade. Também enfatizou que não é possível prever quando essa demanda de 12 mil cirurgias que deixaram de ser feitas no período serão normalizadas, mas que todas as especialidades retornarão ao mesmo tempo.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados