search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Silêncio aterrorizante nos cinemas

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Entretenimento

Silêncio aterrorizante nos cinemas


Só há uma estratégia para sobreviver a criaturas aterrorizantes que comem os seres humanos: silêncio total! É preciso ficar muito, muito quieto. “Um Lugar Silencioso: Parte II”, finalmente, chega aos cinemas.

Na sequência do filme de 2018, após a morte do marido, vivido pelo roteirista e diretor do filme John Krasinski, Evelyn (Emily Blunt) foge com os filhos Marcus (Noah Jupe), Regan (Millicent Simmonds) e o bebê recém-nascido.

Agora, eles precisam encarar o desconhecido, sem esquecer de que manter o silêncio é fundamental para manter distantes as criaturas que dominaram o mundo, seres de outro planeta, que não enxergam bem, mas que se guiam com facilidade pelo som.

Na sequência do filme de 2018, Evelyn (Emily Blunt) foge com os filhos Marcus (Noah Jupe), Regan (Millicent Simmonds) e o bebê recém-nascido. (Foto: Divulgação)Na sequência do filme de 2018, Evelyn (Emily Blunt) foge com os filhos Marcus (Noah Jupe), Regan (Millicent Simmonds) e o bebê recém-nascido. (Foto: Divulgação)

No meio do caminho, eles cruzam com uma figura do passado, o perturbado Emmett (Cillian Murphy), um homem sem esperanças nesse cenário apocalíptico. Como ele sobreviveu ao ataque alienígena é um dos mistérios do filme, que também vai revelar como os seres que se alimentam dos humanos chegaram na Terra.

A tensão do silêncio na história leva o público a se sentir na pele da filha mais velha de Evelyn, Regan Abbott (Millicent Simmonds), que é surda e uma personagem central da trama desta vez. Ela pode ter a chave de como acabar de vez com os aliens.


CURIOSIDADES


As criaturas

O diretor, roteirista e ator John Krasinski afirmou que o filme vai explicar como surgiu o apocalipse. “A gente responde a todas as perguntas que o público fez sobre o primeiro dia, especialmente como tudo começou”. Ele ainda deu mais detalhes sobre as criaturas que se guiam pelo som. “Eles cresceram em um planeta sem luz. Então, não têm olhos e só podem caçar pelo som. Eles também desenvolveram uma forma de se proteger de tudo, por isso são à prova de balas”, explicou em entrevistas.

Sem presidentes

Para explicar como os monstros chegaram na Terra, Krasinski quis fazer algo diferente. “Eu me lembro de uma piada terrível que fiz para dizer como seria (a chegada), como liberar uma matilha de lobos em uma creche. Queria quebrar as regras que vi em filmes de alienígenas, que envolvem discursos dos presidentes e as pessoas decidindo como sobreviver. Não há decisão, aconteceu tão rápido que ou você sobreviveu ou não”, contou.

Sequência supera bilheteria

O primeiro filme, “Um Lugar Silencioso” apavorou o público nos cinemas em 2018 e arrecadou mais de US$ 340 milhões. A sequência chegou nos Estados Unidos em maio e superou a marca de US$ 222 milhões em bilheteria. O desempenho está 15% acima do filme original.

Mundo muda

“Evelyn agora é uma mãe sozinha, com um bebê recém-nascido. O celeiro ficou em chamas, a casa destruída, e ela está por conta própria e precisa proteger essas crianças”, explicou Emily Blunt sobre a personagem. A atriz ainda falou sobe os novos desafios de Evelyn. “Ela descobre que há pessoas lá fora, e o mundo muda em um instante”.

Novo personagem

John Krasinski falou sobre Emmett, personagem de Cillian Murphy. “A beleza do personagem de Cillian é que havia tanta perda em sua vida que ele não sente a necessidade de fazer parte de nenhuma comunidade. Ele representa, na verdade, o resto do mundo. Tem uma escuridão nele e um nível de medo que o fazem ser imprevisível”, completou.

Caça-níqueis

Krasinski disse que sempre foi muito resistente a sequências e que sua resposta inicial ao pedido do estúdio para um segundo filme foi um categórico “não”. “Sempre achei que sequências pareciam, em grande parte, caça-níqueis. E nem sempre são boas como os originais”.

Mudança de ideia

O diretor afirmou que o que o fez mudar de ideia foi a personagem de Millicent Simmonds, Regan Abbott. “Ela representa tudo que eu amo no filme: a ideia de que nós pais damos aos nossos filhos de que vamos estar sempre ali para protegê-los, o que é uma mentira. Quando os filhos percebem isso é que eles crescem. E a segunda parte é sobre esse crescimento. Essa menina se torna tudo o que esse pai sonhou que ela seria e muito mais. Se o primeiro filme é a minha carta de amor aos meus filhos, o segundo é o meu sonho de que eles cresçam em um mundo em que possam ser corajosos, fortes, otimistas, ferozes e destemidos”, disse.

Silêncio recompensador

Emily Blunt, esposa de John Krasinski na vida real, falou sobre interpretar sem palavras: “É recompensador, para falar a verdade, porque coloca muita tensão nas cenas. Mas uma coisa interessante que as pessoas que assistem ao filme trazem para a gente é sobre como ele nos coloca em perspectiva sobre o que não damos muito valor no dia a dia, como o som, e que só percebemos a importância quando perdemos”.

Derivado

A franquia vai ganhar um filme derivado, dirigido por Jeff Nichols, e, apesar de manter mistério sobre a história, Krasinski disse que o spin-off apresenta ligação com o final da 2ª parte da história. A previsão de estreia é para 2023.

Convite do diretor

Assim que o “Um Lugar Silencioso: Parte II” chegou aos cinemas americanos, John Krasinski apareceu de surpresa em algumas sessões. “Disse que apresentaria o filme quando todos pudéssemos ver juntos. E sabem que mais? Está na hora. Irei a cinemas em todo o país, aparecendo assim para dizer: 'Obrigado'. Voltem aos cinemas, vamos ver filmes juntos”, convidou.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?