search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Serra quer liberar construção de prédios mais altos na cidade

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Serra quer liberar construção de prédios mais altos na cidade


Em Jacaraípe, uma das preocupações é evitar o sombreamento da praia (Foto: Leone Iglesias/AT)Em Jacaraípe, uma das preocupações é evitar o sombreamento da praia (Foto: Leone Iglesias/AT)

O município da Serra poderá ganhar prédios mais altos a partir de 2022. A liberação virá com o novo Plano Diretor Municipal (PDM) – lei que determina regras para o crescimento organizado da cidade.

Atualizado a cada 10 anos, o PDM terá uma nova versão a partir do segundo semestre do próximo ano, pela previsão da Prefeitura da Serra. O documento já está sendo elaborado por técnicos do município e vai passar por debates com moradores e vereadores.

Um dos principais pontos da nova lei é tornar a cidade mais verticalizada, com prédios mais altos. “A Serra é um município que cresceu de forma horizontal, muito espalhada. Temos de ocupar áreas urbanas que já estão consolidadas, com uma boa estrutura”, explicou o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Cláudio Denicoli.

O objetivo é atrair novos investimentos em áreas já urbanizadas e com boa infraestrutura viária. “Não queremos mais expandir o município. Temos de ocupar as áreas, aumentar a receita sem ter gastos. Em Laranjeiras, não podemos ter um índice (altura dos prédios) pequeno, pois não viabiliza as construções”, disse Cláudio.

As regiões às margens da BR-101 também devem ganhar a permissão para prédios maiores. Isso porque a rodovia vai se transformar em uma avenida quando o Contorno do Mestre Álvaro estiver pronto. “É um local que hoje não tem moradia, mas já possui estrutura, inclusive viária, o que não traria problema de engarrafamento”, ressaltou o secretário.

Para o mestre em Arquitetura e Urbanismo Antônio Chalhub, a verticalização é a melhor forma de ocupação do solo.
“A economia de recursos públicos para infraestrutura urbana é garantida quando temos maior densidade de população em áreas concentradas e verticalizadas”.

O aumento da altura dos prédios será em toda a cidade, mas há possibilidade de manutenção dos índices atuais no litoral. “Precisamos de atenção em algumas áreas, como Manguinhos, que é um bairro muito residencial, e Jacaraípe, para evitar o sombreamento da praia”, ressaltou o secretário.

Presidente da Associação de Moradores de Manguinhos, Guilherme Lima concorda que o bairro deva seguir com limitações. “Manguinhos é um local baixo e, então, corremos o risco de ter sombra na praia após as 15h, como em Vila Velha”.

Sem construções no Méstre Álvaro

A Prefeitura da Serra pretende evitar construções na região do Contorno do Mestre Álvaro. A via é um novo trecho da BR-101, que está sendo construída para tirar o fluxo de veículos no atual trecho da rodovia federal entre Serra-Sede e Carapina.
A previsão é de que a obra seja concluída no segundo semestre deste ano, de acordo com o governo federal.

A expectativa da prefeitura é de que o novo Plano Diretor Municipal (PDM) vete construções ao longo da rodovia.

“Não queremos aumentar a área urbana do município. Além disso, há a sensibilidade ambiental na região, com um ecossistema importante para o município. Temos de ter muita responsabilidade do que pode ou não ser construído ali”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente da Serra, Cláudio Denicoli.

A diretriz do novo PDM é de que a área não seja ocupada, mas isso ainda será debatido com os moradores e vereadores durante os próximos meses.

Segundo Cláudio Denicoli, o documento do novo Plano Diretor Municipal deve ficar pronto em junho para que comece a ser debatido.

“Não será uma imposição, pois vamos debater, mas também vamos defender nossa proposta”, disse o secretário.

“Vamos dividir essa responsabilidade para ver o que colocar ali. Já temos diversas outras áreas para a indústria e moradia. Aumentando mais a malha urbana, aumenta o custeio do município e reduz o investimento. Temos que ocupar o que existe hoje”, defendeu.
 

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?