search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Sem ataques entre Raposão e Galinhão na Câmara da Serra

Notícias

Publicidade | Anuncie

Eleições 2020

Sem ataques entre Raposão e Galinhão na Câmara da Serra


Em algumas regiões do País ou nas fábulas infantis, a raposa sempre foi tida como um tormento para os criadores de galinhas. Mas, na Serra, dois vereadores que levam o apelido desses dois animais estão do mesmo lado e se reelegeram no pleito do último domingo (15).

Adriano Vasconcelos, o Galinhão, foi reeleito com 3.307 votos (Foto: Divulgação)
Adriano Vasconcelos, o Galinhão, foi reeleito com 3.307 votos (Foto: Divulgação)
Trata-se de Adriano Vasconcelos Rego, o Adriano Galinhão (PSB), que obteve 3.307 votos, e Gilmar Dadalto, o Raposão (PSDB), que foi escolhido por 2.296 eleitores.

“Enquanto o Raposão não me atacar, a gente mantém a relação de amizade”, brinca Galinhão para, em seguida, emendar:

“Ele é uma pessoa muito bacana. Só nos quadrinhos mesmo que tem as divergências entre raposa e galinha”, diverte-se o parlamentar.

Galinhão explica que o apelido não tem nada a ver com “homem namorador”, como sugere a brincadeira popular, mas porque sua família é uma antiga criadora de galinhas, da época em que frango não se achava em supermercado e os abatedouros eram mais comuns.

“Éramos o Galinhão Pai, o Adriano Galinhão, que sou eu, e meu irmão, o Lucas Galinhão. Tínhamos um comércio de frango na cidade.

Vendíamos galinha pé-fino, galinhão,  que a gente matava antigamente.Hoje só criamos galinha caipira por hobby”, explica Adriano.

Gilmar Dadalto, o Raposão, foi escolhido por 2.296 eleitores (Foto: Divulgação)
Gilmar Dadalto, o Raposão, foi escolhido por 2.296 eleitores (Foto: Divulgação)
Já Raposão tem o apelido por conta de um bar que tinha nos anos 1980 com este nome.

“Meu irmão mantinha um time de galo velho (jogadores mais velhos), que tinha o nome de Raposão. Aí, coloquei o mesmo nome no bar. A partir daí, começaram a me chamar de Raposão e ficou até hoje”, conta.

Sobre a relação com Galinhão, Raposão também garante que é de amizade. “Ele é um cara bem alegre, animado. Temos uma boa amizade”, disse.

Ambos disseram ter apoiado mutuamente os projetos um do outro nos primeiros quatro anos dentro da Câmara da Serra e esperam continuar assim na próxima legislatura, a partir do ano que vem.

Sobre o 2º turno para prefeito, Galinhão disse que vai acompanhar o seu partido, que definiu apoio ontem a Vidigal. Raposão também ficará com o pedetista, mesmo com Vandinho Leite tendo optado pela neutralidade.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados