Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Surto de chikungunya em bairros de Vitória

| 21/01/2020 17:00 h | Atualizado em 21/01/2020, 17:19

Renato, Reginaldo, Elcio, Lilian e Marcelo moram na mesma rua do bairro Conquista e tiveram chikungunya
Renato, Reginaldo, Elcio, Lilian e Marcelo moram na mesma rua do bairro Conquista e tiveram chikungunya |  Foto: Leone Iglesias / AT

A região da Grande São Pedro, em Vitória, enfrenta um surto de chikungunya, doença causada pelo mosquito Aedes aegypti – o mesmo transmissor da dengue.

Em bairros como Conquista e Nova Palestina, a epidemia atinge níveis críticos e famílias inteiras estão sendo contaminadas. Há ruas onde todos os moradores ficaram doentes nas últimas semanas.

Dados da Secretaria de Saúde da capital evidenciam a situação preocupante. Em todo ano passado, foram confirmados 1.042 casos da doença em Vitória, enquanto nos 19 primeiros dias de 2020 já são 735 casos suspeitos, maior parte da Grande São Pedro.

A chikungunya tem sintomas que se confundem com a dengue: febre alta, dor de cabeça constante, manchas vermelhas no corpo e dor forte nas articulações. O problema é que as consequências da chikungunya se arrastam por mais tempo nos pacientes.

Morador do bairro Conquista, Nícolas Souza, de 15 anos, e a avó dele, Mariana das Graças, 67, foram infectados no mesmo dia, em novembro do ano passado. Nícolas chegou a ficar sem andar, sendo internado no Hospital Infantil de Vitória por cinco dias. Ele sente dor ainda hoje, dois meses depois.
“No início, a suspeita era de dengue, mas atingiu as articulações e detectaram que era Chikungunya”, contou a mãe, Jeneína de Souza.

“Ele está debilitado até hoje, ainda com dor no corpo. Minha mãe também não consegue levantar o braço esquerdo. É uma recuperação muito difícil”, relatou Jeneína.

Na Rua das Manilhas, que fica no mesmo bairro, é difícil encontrar alguém que ainda não teve a doença. A moradora Lilian Oliveira, de 35 anos, foi infectada, assim como o filho, Marcelo Oliveira, 17 anos, e o pai, Nilson Oliveira, 59 anos. Na mesma rua, Reginaldo Alves, Renato Alves e Elcio Moreira também foram diagnosticados.

Ações

Tratando da situação como surto localizado na região de São Pedro, a secretária da Saúde de Vitória, Cátia Lisboa, afirmou que algumas ações começaram a ser realizadas para reduzir o índice.

“Estamos fazendo mutirões para eliminar os focos. Além disso, reforçamos o atendimento na unidade de saúde de Conquista e Nova Palestina, além do Centro Municipal de Especialidade de São Pedro”, disse.


Saiba Mais


Já foram registrados 734 casos este ano

Aedes aegypti: transmissor
Aedes aegypti: transmissor |  Foto: Muhammad-Mahdi-Karim / Divulgação
Chikungunya

É uma doença causada pelo mosquito Aedes aegypti – o mesmo transmissor da dengue.

Os sintomas se confundem com a dengue: febre alta súbita, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo, mas na chikungunya as dores nas articulações são mais fortes.

Além disso, na chikungunya, as consequências e dores se arrastam por mais tempo nos pacientes.

Surto

O surto em Vitória está localizado na Grande São Pedro. A situação é mais crítica em Conquista e Nova Palestina.

Números da Doença

  • 1.042 casos em todo ano passado, foram confirmados em Vitória.
  • 735 casos suspeitos. Este ano, maior parte foi registrada na região da Grande São Pedro.
  • 132.205 casos em 2019 foram registrados em todo País. Quanto às mortes, houve aumento de 104,4%, comparando-se os anos de 2019 (92) com 2018 (45).

Fonte: Secretaria de Saúde de Vitória e pesquisa AT.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS