X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Saúde

Segunda morte por dengue no Rio de Janeiro é de homem de 23 anos

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ele não tinha doenças pré-existentes


A Prefeitura do Rio de Janeiro confirmou nesta quarta-feira (14) a segunda morte por dengue na cidade em 2024. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, a vítima foi um homem de 23 anos que morava em Senador Camará, bairro da zona oeste da cidade.

A pasta afirmou que o jovem apresentou sintomas como febre, dores musculares, vômito, náusea e dores nas articulações e atrás dos olhos. Ele não tinha doenças pré-existentes, segundo a secretaria.

"O quadro evoluiu, após três dias, para sinais de alarme e gravidade como hipotensão postural, ou seja, ao mudar de posição, [havia] sensação de perda de força muscular, queda abrupta de plaquetas, dor abdominal intensa, sangramento espontâneo de mucosa e desidratação", afirmou a pasta. O nome da vítima não foi divulgado.

A cidade do Rio de Janeiro vive uma epidemia de dengue. No momento, há outros dois óbitos que podem estar associados à doença em investigação pela prefeitura.

O município decretou no início deste mês estado de emergência de saúde pública em decorrência do aumento dos casos. O número de internações por dengue chegou a 362 em janeiro. É o maior da série histórica iniciada em 1974.

Neste ano, a primeira morte por dengue na capital fluminense foi confirmada há uma semana, no dia 7 de fevereiro. Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, a vítima era um homem de 45 anos, dependente químico que vivia na Maré, zona norte da cidade.

No estado do Rio, quatro mortes pela doença já foram confirmadas neste ano. Além dos dois óbitos na capital, um foi registrado no município de Mangaratiba e outro em Itatiaia.

A Secretaria de Estado de Saúde disse que, até terça-feira (13), foram registrados 39,3 mil casos prováveis no estado. Em 2023, houve quase 51,5 mil registros prováveis e 30 mortes, de acordo com a pasta.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: