Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Dores de cabeça e na coluna viram “epidemia”

| 06/06/2020 14:40 h | Atualizado em 06/06/2020, 15:03

É notório que desde março a rotina das pessoas vem sendo completamente alterada por causa da pandemia do coronavírus (Covid-19). Além da luta contra o vírus, outras doenças têm se manifestado, a exemplo das dores de cabeça e de coluna que, segundo médicos e fisioterapeutas, viraram “epidemia” na quarentena.

O ortopedista Thanguy Friço explicou que há quatro elos da saúde: atividade física, alimentação, sono e controle emocional.

Em virtude da pandemia da Covid-19, como ele observou, as pessoas não estão fazendo atividades físicas, não se alimentam de forma adequada, têm abusado da ingestão de bebida alcoólica e o sono não tem sido de qualidade.

“Tudo isso contribui para iniciar processo de doença que, inclusive, já se transformou em epidemia, pois essa realidade está afetando grande parte da população e tem um caráter progressivo”.

O neurocirurgião, especialista em coluna, dor crônica e distúrbios do movimento, Paulo César Mariano, disse que os consultórios estão cada vez mais lotados de pacientes com enxaquecas pioradas e dores de coluna, tanto lombar quanto cervical, em função do home office e do contexto geral.

O fisioterapeuta Fabricio Alves está tratando a paciente Simone Erlacher, que está com dores na coluna.
O fisioterapeuta Fabricio Alves está tratando a paciente Simone Erlacher, que está com dores na coluna. |  Foto: Dayana Souza/AT

“As pessoas estão ficando muito tempo sentadas, de frente ao computador, às vezes em cadeiras e mesas não adequadas, sem nenhuma ergonomia, mas é o que elas têm em casa para trabalhar. Esses casos estão aumentando e evoluindo para níveis epidêmicos”, ressaltou Paulo Mariano.

O fisioterapeuta Fabricio Alves, do programa Viver Bem da Unimed, afirmou que as dores, decorrentes do trabalho em casa, já podem ser consideradas epidêmicas, mas podem ser evitadas. “Para aliviá-las, é indicado que a pessoa se exercite, mesmo em casa”.

Fabrício, além de atender na operadora, também faz atendimentos particulares e está tratando a paciente Simone Erlacher, das dores na coluna.

A assessoria de imprensa da Unimed Vitória explicou que a maioria dos atendimentos de fisioterapia tem acontecido de maneira virtual, porém alguns casos precisam ser atendidos presencialmente, em que são seguidos os critérios de protocolo do Ministério da Saúde.

Tensão aumenta na pandemia

O reflexo da pandemia da Covid-19 tem agravado as dores na coluna da auxiliar de produção Jaciara Souza dos Santos, de  57 anos.
O reflexo da pandemia da Covid-19 tem agravado as dores na coluna da auxiliar de produção Jaciara Souza dos Santos, de 57 anos. |  Foto: Divulgação

O reflexo da pandemia da Covid-19 tem agravado as dores na coluna da auxiliar de produção Jaciara Souza dos Santos, de 57 anos, que também tem convivido diariamente com dor de cabeça. Ontem ela se consultou com o ortopedista Thanguy Friço.

“A tensão aumenta com tudo isso que estamos vivendo e não posso fazer caminhadas. Mas a situação é delicada por causa desse vírus. Há uma semana eu perdi um primo e o meu tio, pai dele, está na UTI. Além disso, uma das minhas filhas está em isolamento domiciliar.”

SAIBA MAIS

Cadeira e a mesa devem ser apropriadas

Dor de coluna

  • O home office e os estudos em casa fazem parte da rotina na pandemia para muitas famílias. Só que nem sempre a cadeira e a mesa são apropriadas para realizar as tarefas.
  • Com isso, a postura fica comprometida e as dores de coluna (lombar e cervical) começam a incomodar.
  • O ortopedista e especialista em coluna Thiago Maia, da MedSênior, diz que com a pandemia as pessoas diminuem a rotina física, como a prática de exercícios, desencadeando casos de dores, sejam elas articulares ou musculares.
  • “O tempo de isolamento é um fator determinante para o aumento de quadros de dor. A coluna acaba sendo o órgão mais afetado, porque é uma das regiões que mais estão submetidas ao estresse ao longo do dia, já que a estrutura da coluna é mais demandada”, disse o ortopedista.

Dor de cabeça

  • O esforço visual, em decorrência dos usos de tela, mais frequente na pandemia, pode ocasionar dores de cabeça.
  • O oftalmologista César Barbieri explicou que quando se usa a tela há um esforço visual e faz com que o olho se canse. Por isso, segundo ele, é importante ter limites e que sejam feitas pausas. “Devemos descansar os olhos após cada hora à frente desses equipamentos”.
  • A dor de cabeça também pode ser provocada pela tensão e medo de ter o contato com o novo coronavírus.

Crises de enxaquecas

  • Para quem sofre de enxaqueca, o estresse e a ansiedade estão entre os maiores gatilhos para as suas crises.
  • O neurocirurgião, especialista em coluna, dor crônica e distúrbios do movimento, Paulo Mariano, lembra que na pandemia as pessoas estão em casa, lidando com a ansiedade, comendo mais e abrindo mão de uma alimentação saudável, o que também acentua as crises de enxaqueca.

Sobrepeso

  • A alimentação desregrada também tem contribuído para ganho de peso.
  • “nesse período as pessoas estão comendo errado, bebendo muito por causa de live, por exemplo, e isso traz complicações à saúde”, alertou o ortopedista Thanguy Friço.

Fonte: Médicos entrevistados.
 

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS