X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Criança de 7 anos é isolada com suspeita de nova varíola no Sul do ES

O menino começou a apresentar os primeiros sintomas no dia 27 de julho

Clóvis Rangel | 01/08/2022 13:42 h

-
- |  Foto: Clóvis Rangel
  

Um menino de sete anos está em isolamento, em casa, no município de Cachoeiro de Itapemirim, Sul do Espírito Santo, com sintomas da nova varíola, a monkeypox. 

De acordo com informações da Secretaria de Saúde (Semus) do município, o caso suspeito é o primeiro na cidade e já foi notificado às autoridades, e o material coletado da criança foi encaminhado neste domingo (31) para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) do Espírito Santo. A mãe da criança também segue em isolamento.

Ainda segundo a Semus, o menino está isolado desde o dia 29 de julho e o resultado do exame leva, em média, dez dias para ficar pronto. O período de isolamento dura até 10 dias ou até as feridas cicatrizarem. 

Já o Hospital Materno Infantil Francisco de Assis (Hifa) de Cachoeiro de Itapemirim, onde o menino foi atendido, informou que familiares revelaram que ele esteve com a família em Marataízes, no Litoral Sul do Estado, no final de semana anterior e retornou da viagem apresentando alguns sintomas da doença. Segundo a unidade hospitalar, ele deu entrada com queixas de dores pelo corpo, dor de cabeça e febre, além de bolhas pelo corpo.

A mãe do menino, que pediu para não ter o nome revelado, contou à reportagem que o filho começou a apresentar os sintomas no dia 27 de julho. No dia 29, ela o levou até o Hifa, onde recebeu diagnósticos sugestivo para a nova varíola e foi liberado. Depois disso, teve que retornar até o hospital outras duas vezes por conta da febre na criança e de novas bolhas que surgiram. 

Ela contou ainda que o filho encontra-se estável, sem dores ou febre, e já consegue se alimentar melhor. A criança está sob o uso de antibióticos que foram prescritos pelos médicos. 

A mãe revelou também que duas irmãs do menino estão isoladas na casa dos avós, em Cachoeiro de Itapemirim, para evitar o contato e novas contaminações.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS