X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Beijo com máscara é arriscado, dizem médicos

| 04/06/2020 15:17 h | Atualizado em 04/06/2020, 15:33

Ccantor Lucas Lucco e Lorena Carvalho: beijo com máscara não impede disseminação do coronavírus
Ccantor Lucas Lucco e Lorena Carvalho: beijo com máscara não impede disseminação do coronavírus |  Foto: Reprodução / Instagram

As redes sociais são usadas para disseminar novidades, principalmente, entre famosos. Em meio à pandemia, alguns casais passaram a publicar fotos de selinhos com a máscara de proteção. Os registros românticos desses beijos foram feitos, por exemplo, pelo surfista Gabriel Medina e a modelo Yasmin Brunet, e pelo cantor Lucas Lucco e a influenciadora Lorena Carvalho.

A intenção pode até ser boa, mas beijar com a máscara, segundo os médicos, pode trazer risco à saúde e disseminar o coronavírus. A pneumologista Ciléia Victoria Martins explicou que a máscara não foi feita para troca de beijos.

“Ela é usada como forma de proteção para quem usa e para as outras pessoas. A máscara evita que os fluidos orais e nasais se soltem, através da fala, do espirro e da tosse, evitando a disseminação de uma doença”, afirmou.

O alerta também é feito pela pneumologista Jéssica Polese, que reforça que, mesmo que o casal more junto, quando expostos a ambientes externos, como a rua, pode haver contaminação na máscara.

“Se o casal convive na mesma casa e não está doente, pode beijar. Agora se a pessoa está na rua, não há motivos para a troca de selinhos com a máscara, já que ela pode estar contaminada”.

O médico infectologista Crispim Cerutti Junior afirmou que a prática não é uma boa ideia, pois pode umedecer o tecido, perdendo sua eficácia. “As máscaras são para proteger nariz e boca e devem ser higienizadas sempre que alguém volta da rua, antes de qualquer contato com pessoas. O ideal é, inclusive, ter uma máscara de reserva para saídas de casa que duram mais de 2 horas”.

Crispim destacou que contato afetivo não deve ser feito se houver aparecimento de sintomas. “Neste caso, a pessoa deve se isolar completamente em um cômodo da casa, sem ter contato com outros membros da família”.

Alerta para contágio em visitas de namorados

Yasmin Brunet e Gabriel Medina
Yasmin Brunet e Gabriel Medina |  Foto: Reprodução / Instagram
Com a pandemia, os casais que vivem separados têm se virado como podem: chamadas de vídeos, trocas de mensagens e ligações são alguns dos recursos para matar a saudade.

Mas, há aqueles casais que, mesmo com as recomendações para manter o isolamento, têm ido à casa do outro. Médicos afirmam que esses encontros não são recomendados, já que pode ocorrer a contaminação pela Covid-19.

“Se os casais não moram juntos, não sabemos se eles estarão ou não contaminados. Um desses parceiros pode ter contato com alguém do trabalho contaminado e levar para casa do outro o vírus, seja na roupa, sapato ou máscara”, explicou a pneumologista Ciléia Victoria Martins.

A proximidade do Dia dos Namorados, segundo a pneumologista Jéssica Polese, pode trazer riscos para os casais que não moram juntos e planejam se encontrar.

“Mesmo que o casal esteja afastado há dois meses, caso se junte durante um dia, e um deles esteja contaminado, pode contaminar a família. Agora não é hora de dar vacilo. Não sabemos a forma como cada um pode ter a Covid-19. Há aquelas que podem não ter sintomas, e outras que podem morrer”, alertou a pneumologista.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS