search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Rua da Lama tem mais um final de semana de aglomeração

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Rua da Lama tem mais um final de semana de aglomeração


Festa clandestina no meio da rua (Foto: Reprodução vídeo )
Festa clandestina no meio da rua (Foto: Reprodução vídeo )

Mesmo em meio à pandemia, as cenas de aglomeração de pessoas seguem sendo flagradas pelo Estado. Na Rua da Lama, em Jardim da Penha, Vitória, dezenas de jovens participaram de uma festa clandestina realizada no meio da rua no fim de semana. 

Imagens da festa circularam pelas redes sociais e mostram os jovens aglomerados na rua, bebendo e se divertindo, enquanto ao fundo tocam algumas músicas. 

De acordo com a Polícia Militar, a corporação foi acionada por moradores para atender uma ocorrência de perturbação de tranquilidade no bairro Jardim da Penha, em Vitória, na madrugada do último sábado (20).

"No local, os militares pediram que desligassem o som, foi ordenado que os vendedores ambulantes se retirassem do local e a ocorrência foi encerrada", disse a nota.

No entanto, a PM informou que, mais tarde,  os policiais receberam informações de que no mesmo lugar havia uma caixa de som e um aglomerado de 30 pessoas.

"O proprietário se identificou e a caixa de som foi recolhida e encaminhada para 12ª Companhia Independente da Polícia Militar", informou a corporação. 

A diretora de comunicação da Associação de Moradores de Jardim da Penha (Amjap) informou que a entidade recebeu reclamações e constatou aglomeração e bagunça na rua da Lama, tanto no feriado de Carnaval, quanto neste final de semana.

"Principalmente no sábado, os órgãos envolvidos foram oficiados, solicitamos mais fiscalização, segurança e compreensão das pessoas, fortificamos a necessidade de distanciamento", disse em nota.

Durante o Carnaval, aglomerações também foram flagradas no local por pelo menos duas vezes. A Prefeitura esteve no local, notificou um motorista que estava com som alto no carro e apreendeu caixas de som portáteis. 

Fiscalização estava no local, diz secertário

O secretário de Desenvolvimento de Vitória, Marcelo de Oliveira, afirmou que as equipes da Prefeitura foram acionadas até o local e realizaram a fiscalização em estabelecimentos da região. 

De acordo com ele, somente no sábado à noite, 22 estabelecimentos foram fiscalizados no município, 18 deles localizados em Jardim da Penha. 

"Na rua da Lama tivemos chamados por aglomerações no local e eles foram respondidos pela Guarda Municipal e fiscais de Meio Ambiente. Mas, toda a vez que a nossa equipe deixava o local, as pessoas voltavam para ligar som e os ambulantes também voltavam. Não existe um regramento que proíba as pessoas de estarem nas ruas. Não tenho um regramento que permita que eu possa remover essas pessoas de lá", explicou Oliveira.

O secretário ressalta que os estabelecimentos estavam cumprindo as normas e na hora da festa durante a madrugada estavam fechados. "Foi uma situação que aconteceu, infelizmente. Não queríamos que acontecesse, porque estamos em uma pandemia, nossa intenção não é repreender ambulantes ou comerciantes, que tem que trabalhar. Mas tem que ser dentro das normas e regras", frisou. 

Oliveira informou que houve notificação de motoristas por som alto e seis caixinhas de som portáteis foram apreendidas no fim de semana no local. 

"Vamos sentar com comerciantes da região, porque tenho certeza que eles não querem isso para a região, com a Associação de Moradores porque a cidade não aceita esse tipo de baderna e confusão. Nós também não aceitamos porque as coisas têm que ser feitas com ordem e regras", afirmou.

O secretário pediu relatório das ações e vai se reunir com os integrantes do Comitê Municipal criado para discutir as ações de enfrentamento ao coronavírus. Novas estratégias serão estudadas, segundo ele, para evitar que essas cenas se repitam. No entanto, assegura que não será feito uso de força excessiva para dispersar as pessoas e sim o diálogo. 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados