search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Respirador fabricado na USP em duas horas e custa R$1 mil é aprovado em testes

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Respirador fabricado na USP em duas horas e custa R$1 mil é aprovado em testes


A falta de respiradores disponíveis para compra no mercado é um dos problemas enfrentados pelos governos, atualmente, no tratamento de pacientes com o novo coronavírus.

Pensando em uma solução para atender a alta demanda, engenheiros da Escola Politécnica (Poli), da Universidade de São Paulo (USP) desenvolveram um ventilador pulmonar 15 vezes mais barato do que os ofertados por empresas e que fica pronto em duas horas.

De acordo com o G1, o equipamento foi aprovado sem apresentar problemas em testes com quatro pacientes nas dependências do Instituto de Coração (Incor) do Hospital das Clínicas (HC) da USP e, agora, será submetido a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Equipamento desenvolvido (Foto: Divulgação / Site da USP)
Equipamento desenvolvido (Foto: Divulgação / Site da USP)
Os pesquisadores informaram que enquanto um respirador tradicional é vendido por cerca de R$ 15 mil no mercado, o desenvolvido pela USP tem custo de R$ 1 mil, além de ficar pronto em duas horas.

O engenheiro Raul Gonzalez Lima, coordenador do grupo, em entrevista ao jornal da USP, destacou que as peças que constituem o equipamento, na sua maioria, podem ser adquiridas no mercado de fabricantes nacionais.

“Por suas características, o projeto irá viabilizar a construção de alguns milhares de ventiladores a partir de três semanas e ter milhares produzidos em cinco semanas”, disse ele.

Segundo Gonzalez, o projeto tem licença open source, ou seja, é aberto para utilização pelos interessados em produzir o ventilador. Ele diz que a Poli será a responsável pelo projeto, mas não pela fabricação, que deve ser feita por empresas com autorização da Anvisa.

No País, atualmente, há 61 mil respiradores disponíveis por hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) e particulares, conforme a USP. A compra de outros 20 mil foram anunciados pelo governo federal.

Em um cenário otimista, a universidade acredita que serão necessários 40 mil respiradores para atender pacientes com a covid-19 até o final de abril. Em uma situação mais pessimista, sem isolamento social, a USP acredita que seriam necessários 400 mil desses equipamentos até o fim do mês.
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados