search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Relacionamentos abusivos mais evidentes durante a pandemia
Tribuna Livre

Relacionamentos abusivos mais evidentes durante a pandemia

É significativo o aumento de casos de violência doméstica durante o isolamento social. Mas, infelizmente, a pandemia apenas traz à tona questões já presentes. É num momento de excesso ou modificação radical da rotina que muitos relacionamentos abusivos têm os seus sintomas exacerbados. Para muitas pessoas, a falta do convívio social as deixa mais vulneráveis ao abusador, que, combinado ao momento tenso e cheio de incertezas, se torna gradativamente mais violento.

Aliás, a característica principal de um relacionamento abusivo é a violência. E não só física, mas psicológica, emocional, verbal, sexual, financeira e até tecnológica.

Um exemplo de violência psicológica é fazer a pessoa acreditar de alguma forma de que é incapaz de algo. Outro exemplo é limitar ou impedir o acesso da pessoa a recursos. No fim, todo tipo de violência tem por objetivo final minar a individualidade da vítima e torná-la cada vez mais dependente do abusador.

Tal dependência é criada de forma tão gradativa, que a maioria das vítimas sequer consegue se perceber como tal. Geralmente, pessoas externas conseguem ter uma percepção mais rápida e até sugerir algum tipo de ajuda, o que com o isolamento se tornou mais difícil.

O ciclo do relacionamento abusivo é geralmente o mesmo em todas as relações. Inicia-se de forma romântica, com boas expectativas e bons momentos. Ao longo do tempo, são solicitadas concessões, como alteração de rotina, gostos pessoais, amizades. Mas a vítima acaba não levando tão a sério pequenas invasões a sua individualidade.

Todavia, mais e mais concessões são implementadas, microdependências são criadas e os abusos começam a ficar nítidos para pessoas de fora. Nesse meio tempo, a vítima percebe-se dependente e as pequenas invasões se tornam verdadeiras violências, que também costumam acontecer em ciclos.

A pessoa abusiva tem a explosão, toma alguma atitude violenta e pouco depois “se arrepende”.  Após a remissão, tem a fase chamada de "lua de mel", em que o relacionamento fica artificialmente saudável. Mas aos poucos as pequenas violências voltam a ocorrer até a próxima explosão, geralmente maior e mais nociva.

Parece clichê, mas é importante se conhecer, ter bem claro para si os seus valores e não abrir mão deles por nada e ninguém. Por mais que bons momentos tenham seu valor, não valem abrir mão da liberdade.

Outra questão importante é estar atento ao que a pessoa fala e faz com outras pessoas conhecidas no início do relacionamento.

Para a pessoa que se percebe em uma relação abusiva e não consegue sair, o mais indicado é pedir ajuda. Caso não seja possível, outra opção um pouco mais lenta é trabalhar a autonomia para se desvencilhar da dependência - isso para casos onde a vida ainda não corre risco. Para casos de risco, não há o que refletir. Deve-se denunciar.

E sendo pertinente até se abster da presença do abusador sem conversas prévias. Peça ajuda a vizinhos, familiares, mas não permaneça no ciclo da violência.

Marcelle Paganini é psicóloga e sexóloga.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

A violência doméstica durante a pandemia

Devido ao isolamento social na pandemia da Covid-19, houve um aumento da violência doméstica. A Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006 – que completa 14 anos hoje –, mais conhecida como Lei Maria da …


Exclusivo
Tribuna Livre Nutridicas

Cuidados com a alimentação para manter a saúde do paizão

Os homens estão cada vez mais cuidando da sua beleza, mas... e com relação à saúde, como estão? Será que estão tão ligados assim? Não há como negar que os cuidados com a saúde devem estar presentes …


Exclusivo
Tribuna Livre

Privatização do Porto de Vitória volta a ser discutida

A privatização do sistema portuário capixaba voltou a ser pautada. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que em outubro, provavelmente, será realizada uma consulta pública para a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Afastem-se logo dos milagreiros tributários

Em meio à grave crise econômica que assola o Brasil e o mundo, empresas se veem cada vez mais descapitalizadas e diante de uma equação que leva à pena de morte: inadimplência e custos cada vez mais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Cuide da saúde do seu coração durante o isolamento social

Nesses tempos de distanciamento social, quem possui alguma doença cardiovascular deve redobrar a atenção com a saúde. De acordo com dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mudanças de hábito valorizam a importância do papel

As embalagens estão cada vez mais no radar das empresas. Seja papel cartão, papelão ondulado ou nos moldes de leite longa vida, as embalagens de papel têm se tornado a menininha dos olhos no mundo …


Exclusivo
Tribuna Livre

A sociedade precisa saber mais sobre a agricultura familiar

Não há governante que, nos dias atuais, consciente do seu papel, não compreenda a necessidade de se investir num setor tão importante para o povo brasileiro. Muito se fala em manutenção do homem …


Exclusivo
Tribuna Livre

Novos modos de vida e a “economia de baixo contato”

Enquanto algumas tendências sinalizam movimentos socioculturais ou respostas para os desafios globais persistentes, outras emergiram do contexto específico da pandemia da Covid-19. A tendência da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Trezena de Santo Antônio muda de data sem perder a vocação

Há quase oito décadas, com festivas solenidades, é pela primeira vez que a Trezena de Santo Antônio deixou de acontecer nos 13 dias do mês de junho, na Paróquia e Santuário-Basílica, em Vitória. A …


Exclusivo
Tribuna Livre

A modernização dos cartórios em tempos de Covid-19

Mesmo antes da pandemia, o sistema cartorário já tinha migrado diversos serviços para serem solicitados e feitos através das centrais online. Durante o período da quarentena, essas centrais se …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados