search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Reinfecção por coronavírus é investigada em Minas Gerais

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Reinfecção por coronavírus é investigada em Minas Gerais


Uma possível reinfecção por coronavírus está sendo estudada na cidade de Itatiaiuçu, região metropolitana de Belo Horizonte.

Um jovem de Minas Gerais teve o exame para Covid-19 confirmado em abril. Porém, ele foi novamente diagnosticado no final de junho, e morreu na última segunda-feira. Libério Tadeu Fonseca Pereira, que era técnico de enfermagem, tinha 22 anos.

Em abril, os sintomas dele eram considerados leves. Após fazer o isolamento, voltou ao trabalho, em Itaúna, região Centro-Oeste.

Em junho, Libério procurou a Policlínica de Itatiaiuçu com sintomas graves e foi encaminhado para um hospital de Itaúna, onde morreu. O teste foi feito novamente e o resultado deu positivo.

Em entrevista ao G1, a responsável pela epidemiologia da Policlínica, Gláucia Vilela, disse que a reação do rapaz à Covid pode ter alguma relação com uma alteração genética que a mãe dele tinha.

“Neste ano, a gente teve um diagnóstico da mãe dele com uma alteração genética que gerava predisposição às infecções. Se chama GATA2. Essa alteração confere baixa imunidade. Então, nosso raciocínio clínico é que ele pudesse ter essa herança genética da mãe, e, por isso, uma suscetibilidade maior às infecções”.

Segundo o Estado de Minas, os familiares que moravam com ele – mãe, pai e uma tia – tiveram resultado positivo na segunda suposta infecção. Além disso, a mãe morreu dois dias antes dele, com Covid-19.

A secretária municipal de Saúde, Carolina Lemos Barbosa, pondera que ainda não há evidências suficientes que confirmem a hipótese de reinfecção pelo vírus. O fenômeno, acompanhado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e pelo Ministério da Saúde, pode ter pelo menos três outras causas, incluindo falha no primeiro exame.

“É preciso descartar todas as outras hipóteses antes de falar em reinfecção. Não confirmamos que se trata desse evento, mas também não descartamos”, explicou.

Questionada pela reportagem, ela não especificou quando a investigação será concluída, nem deu detalhes do processo.

Por meio de nota, a SES-MG e o Ministério da Saúde informaram que prestarão apoio técnico ao município e aguardam registro oficial do caso.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados