search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Regras de etiqueta em tempos de mudanças
Claudia Matarazzo
Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo


Regras de etiqueta em tempos de mudanças

Muita gente me pergunta se, com a rapidez das mudanças, ainda se usa isso ou aquilo e se é preciso prestar atenção em “etiqueta”. Calma! Etiqueta ajuda sempre – e nunca faz mal. Ela simplifica e embeleza a vida. E não tem como atrapalhar.

Além disso, com as mudanças, a etiqueta se ajusta e, às vezes, muda mesmo.

Mas, em geral, não muda tanto assim. Apenas passamos a usar outras ferramentas. E, embora pareça estranho, as novas tecnologias e possibilidades, em vez de extinguir tradições milenares, acabam ajudando a reforçar.

Abaixo, uma lista de itens que mudaram, surgiram ou se modernizaram, mas que permanecem a serviço da mesma circunstância ou regra de etiqueta.

Sino para chamar o mordomo – Antigamente, era usado um sino de prata ou cristal para chamar o mordomo ou copeiro. Hoje, não temos esse serviço no dia a dia (salvo exceções), mas, há a campainha sem fio, que cumpre o mesmo papel quando recebemos de maneira mais formal.

E o que me dizem do fato de organizar um evento inteiro usando mensagens instantâneas? São eventos maiores, elaborados e com um requinte de detalhes tão (ou mais) detalhado do que os dos tempos do sininho à mesa.

Apagador de velas – É um instrumento que parece um sino com um cabo longo na ponta. Serviam para apagar velas (abafando o pavio) quando existiam centenas pelas casas e salões.

Mas ainda vemos e usamos velas – e o apagador apenas mudou de formato: antes em prata ou latão, hoje é fabricado também em argila e outros materiais. Alguns têm formato de alicate, para apertar o pavio.
Inútil? Menos do que se imagina, pois a indústria de velas decorativas só cresce, em um claro sinal do quanto as velas ainda são usadas e apreciadas.

Staff e serviço – Mordomos e governantas como os de filme inglês estão em extinção, mas hoje temos um exército de diaristas, equipes de limpeza, organizadores e toda sorte de profissionais que cumprem separadamente as mesmas tarefas que, antigamente, eram feitas por um só, morando na casa em tempo integral.

Mas não quer dizer que as pessoas dispensem um guarda-roupa organizado, uma cozinha capaz de atender a uma reunião e/ou comemoração, etc.

Pinça de pão – É um apetrecho usado pelos copeiros para “espetar” as fatias de pão na hora de servir no prato dos convidados. Hoje, vemos nos bufês de café da manhã as pessoas lutarem para fazer isso com um pegador de espaguete inadequado. Perdendo a paciência, pegam (e fatiam) com a mão, sem nem usar o guardanapo para segurar.

Pois, em tempos de pandemia, sou pela volta da pinça de pão!

Guardanapos do batom – Existia um miniquadrado de linho vermelho para as mulheres usarem sem manchar o guardanapo do “ jogo”. Hoje, temos guardanapos lindos e coloridos em papel, em dimensões iguais aos de pano – e que, descartáveis, resolvem esse problema.

Passamos a viver uma vida mais prática, sem dúvida, mas não precisamos eliminar a beleza do nosso dia a dia, nem esquecer as tradições, que falam direto ao nosso coração e que nos identificam de forma tão afetiva e emblemática. Pense nisso.


 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Pamonha e paçoca com requinte

É um engano achar que nossa culinária fica a dever a qualquer uma do mundo porque não fica. Em variedade, riqueza de ingredientes, sabor e tradição, nossa gastronomia bota no chinelo quase todas do …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

A idade da pessoa é um encanto

Atenção, leitor: se você é homem pode achar esse papo uma bobagem. Já, se é mulher, com mais de 40 anos, vai entender do que estou falando – e quem sabe se identificar. Há mais de 10 anos, …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Presentes do Dia dos Namorados

Nunca gostei de Dia dos Namorados pelos mais variados motivos. Quando jovem, dizia que a data era “comercial”, até arrumar um namorado que me paparicava e preparava surpresas incríveis e nada …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Sabotagem ou autossabotagem?

Só mesmo a autossabotagem para explicar a enxurrada de sentimentos contraditórios que vem nos afligindo nessa pandemia. Ok, o momento é delicado, estamos todos fartos de notícias ruins, mas nada …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Ressignificando passado, presente e futuro

Vira e mexe vejo alguma frase nas redes sociais que me chama a atenção – e anoto para refletir, compartilhar e, muitas vezes, questionar. Durante a pandemia, chama a atenção o quanto a reflexão/preoc…


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Novo olhar para receber em casa

É fato: depois da pandemia, receber em casa, estar com amigos, ir a um evento ou ter um simples encontro na rua já adquiriu outro significado. O que mudou no comportamento das pessoas? Muita coisa. …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Dicas para acertar no currículo!

Mandar o currículo não basta, mas ajuda muito se ele estiver no ponto certo de apresentação e com as informações organizadas de forma a chamar a atenção. Como está tudo muito difícil, não custa …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Farofa, farinha ou paçoca?

O título, claro, é uma provocação, uma vez que a farofa é feita com farinha e a farinha é a base de um sem-número de delícias da nossa gastronomia. Já paçoca é uma variação do nome da farofa: no …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Privacidade, um resgate urgente!

Na era dos reality shows e das redes sociais, falar em privacidade é uma ousadia, bem sei. Mas, é necessário. O conceito é bem conhecido dos verdadeiramente elegantes. Pena que, a cada dia, sejam …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

“Sofagate”, a gafe diplomática

O vídeo correu o mundo: políticos, feministas, cerimonialistas e mulheres de todo o planeta o analisaram com diferentes interpretações. Nele, um encontro entre a presidente da Comissão Europeia, …