search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Recorde de candidatos a prefeito

Notícias

Política

Recorde de candidatos a prefeito


As eleições municipais deste ano vão ter um número recorde de candidaturas para prefeito, de acordo com a previsão de especialistas. Esse aumento vai ocorrer por causa do fim das coligações partidárias para vereadores, que fará com que os partidos, mesmo os pequenos, lancem candidaturas para prefeito e fechem lista às câmaras municipais.

Até o momento, na disputa para prefeito nos municípios de Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica, há 86 pré-candidatos. Há siglas com mais de um nome, como o PT, que tem cinco possíveis em Cariacica. Os dados foram levantados pela reportagem junto aos partidos.

Em 2016, última eleição municipal, 260 candidatos disputaram os cargos de prefeitos nos 78 municípios do Espírito Santo, de acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES). Nos quatro maiores municípios da Grande Vitória, foram 20 candidatos.

“Nas últimas eleições municipais, muitos abriram mão de candidaturas majoritárias, priorizando uma composição de chapa competitiva na eleição proporcional”, explica o advogado eleitoral Marcelo Nunes.

Marcelo Nunes: “Com o fim das coligações, vão acabar surgindo candidaturas majoritárias, mesmo não expressivas” (Foto: Leone Iglesias/ AT/ 04/08/2019)
Marcelo Nunes: “Com o fim das coligações, vão acabar surgindo candidaturas majoritárias, mesmo não expressivas” (Foto: Leone Iglesias/ AT/ 04/08/2019)

Este ano, a situação será diferente. De acordo com Nunes, com a mudança na legislação eleitoral, aprovada em 2017, e proibindo as coligações para cargos no Legislativo, o número de candidatos deve aumentar. “Com o fim das coligações, vão acabar surgindo candidaturas majoritárias, mesmo não expressivas”, avalia.

O advogado especializado em Direito Constitucional e Eleitoral, Caleb Salomão, também acredita que deve haver um aumento no número de candidatos a prefeitos.

“Há de se levar em conta que candidaturas majoritárias exigem candidatos com alguma densidade eleitoral”, pontua.

O professor de Direito Eleitoral Adriano Sant'ana observa que o aumento de candidatos pode pulverizar o voto em municípios com até 200 mil eleitores, que não têm segundo turno.

Eleitor pode ficar confuso, dizem especialistas

Com o aumento de candidatos no pleito de outubro, os eleitores podem ficar confusos na escolha por um nome. O excesso de nomes também enfraquece os partidos que não têm uma linha ideológica clara. É o que dizem especialistas.

“Quando tem muitos candidatos, a gente acaba não só, confundindo o eleitor, como diminuindo forças, porque muitas vezes, candidatos que possuem a mesma ideologia, acabam dividindo o seu eleitorado e não conseguem fazer uma maioria para se eleger”, pontua o professor de Direito Eleitoral Adriano Sant'ana.

Ele acredita que deveriam existir menos partidos, como nos Estados Unidos, onde há sete siglas.

O professor de Direito da FGV-Rio Michael Mohallem acredita que muitos partidos poluem o cenário para o eleitor. “As candidatura dão identidade para o partido. Do ponto de vista do eleitor, muitos partidos, muitas candidaturas, confunde, polui o cenário. O eleitor não entende muito bem quais as diferenças entre os partidos”.

Fim das coligações partidárias para o legislativo

Entenda o que mudou

  • As coligações partidárias mudaram com a aprovação da Emenda Constitucional 97, aprovada em 2017.

Regra anterior

  • Antes da regra, os votos de todos os candidatos e legendas das coligações eram somados conjuntamente, o que definia as vagas para as câmaras no sistema proporcional.

Regra atual

  • Agora, não haverá mais alianças e cada partido terá de apresentar uma lista fechada de candidatos para vereador. A tendência é de que o número de candidatos a prefeito aumente.

PRÉ-CANDIDATOS A PREFEITO NA GRANDE VITÓRIA

Candidato - ocupação

Vitória

Fabricio Gandini (Cidadania) - deputado estadual
Amaro Neto (Republicanos) - deputado federal
Evair de Melo (Progressistas) - deputado federal
Sergio Majeski (PSB) - deputado estadual
Sérgio Sá (PSB) - vice-prefeito
Capitão Assumção (PSL) - deputado estadual
Lorenzo Pazolini (sem partido) - deputado estadual
Cleber Felix (Progressistas) - vereador
Nylton Rodrigues (Novo) - ex-sec. estadual da Segurança Pública

Mazinho dos Anjos (PSD) - vereador
Roberto Martins (PTB) - vereador
Namy Chequer (PCdoB) - ex-vereador
André Garcia (MDB) - ex-sec. estadual da Segurança Pública
Guto Gomes (DC) - empresário
Doutor Pinheiro (Patriota) - ex-juiz e advogado aposentado

Vila Velha

Max Filho (PSDB) - prefeito
Ted Conti (PSB) - deputado federal
Danilo Bahiense (PSL) - deputado estadual
Hércules Silveira (MDB) - deputado estadual
Hudson Leal (Republicanos) - deputado estadual
Rafael Favatto (Patriota) - deputado estadual
Ivan Carlini (DEM) - vereador
Arnaldinho Borgo (MDB) - vereador
Neucimar Fraga (PSD) - ex-prefeito
Ricardo Chiabai (Cidadania) - ex-vereador
Dalton Morais (Novo) - advogado e professor
Ferreira Neto (PDT) - comunicador

Serra

Bruno Lamas (PSB) - deputado estadual
Lorenzo Pazolini (sem partido) - deputado estadual
Alexandre Xambinho (Rede) - deputado estadual
Vandinho leite (PSDB) - deputado estadual
Aécio Leite (PT) - vereador
Guto Lorenzoni (Rede) - vereador
Rodrigo Caldeira (Rede) - vereador
Wanildo Sarnaglia (Avante) - vereador
Jackeline Rocha (PT) - presidente do PT-ES
Luciana Malini (PP) - odontóloga
Goleiro Mão (PSD) - ex-atleta
Artur Costa (SD) - professor
Eben de Moraes (PCdoB) - empresário
Gracimeri Gaviorno (sem partido) - delegada

Cariacica
Marcelo Santos (PDT) - deputado estadual
Nilton Basílio (PDT) - vice-prefeito
Saulo Andreon (PSB) - ex-vereador
Euclério Sampaio (sem partido) - deputado estadual
Sandro Locutor (Pros) - ex-deputado estadual
Marcos Bruno (Rede) - ex-deputado estadual
Subtenente Assis (PSL) - diretor de Segurança da Assembleia
Joel da Costa (Cidadania) - vereador
Celso Andreon (PSD) - vereador
César Lucas (PV) - vereador
Pastor Ivan Bastos (MDB) - pastor
André Lopes (PT) - vereador
Lúcia Dornellas (PT) - ex-deputada estadual
Célia Tavares (PT) - ex-sec. Municipal de Educação
José Roberto Dudé (PT) - ex-deputado federal
Cristovan Mendonça (PT) - presidente do Sindiupes
Helcio Couto (PP) - médico
Jovarci Motta (DC) - médico
Heraldo Gonçalves (PCdoB) - médico
Janete de Sá (PMN) - deputada estadual

OBS.: O PRTB não divulgou os nomes dos pré-candidatos, mas destacou que tem 24 postulantes: Vitória (4 candidatos), Serra (12 candidatos), Cariacica (4 candidatos) e Vila Velha (4 candidatos). O Psol informou que vai definir seus pré-candidatos em congressos entre abril e maio. O presidente do PL não atendeu as ligações e não respondeu as mensagens enviadas pela reportagem.

Fonte: partidos políticos e pesquisa AT


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados