search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Quadrilha acusada de desviar R$ 1 milhão em mercadorias dos Correios é presa

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Quadrilha acusada de desviar R$ 1 milhão em mercadorias dos Correios é presa


Parte das mercadorias desviadas foram recuperadas pela Polícia (Foto: Divulgação / PF)
Parte das mercadorias desviadas foram recuperadas pela Polícia (Foto: Divulgação / PF)

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta terça-feira (24), uma quadrilha acusada de fraudes e desvios de mercadorias do Centro de Distribuição dos Correios em Benfica, no Rio de Janeiro. A estimativa é que o grupo tenha dado golpes que chegaram a R$ 1 milhão em mercadorias de alto custo, como celulares e eletrônicos.

No âmbito da operação Replicante, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão, expedidos pela 10ª Vara Federal Criminal.

De acordo com a Polícia Federal, desde janeiro de 2019, funcionários do Centro de Triagem e Entrega dos Correios de Benfica, no Rio de Janeiro, selecionavam as encomendas de alto valor, como celulares e eletrônicos e desviavam para outras pessoas. A fraude era feita por meio da troca das etiquetas verdadeiras, que continham os dados dos reais compradores, por etiquetas falsas. 

Com as novas etiquetas, os produtos saiam do CTE de Benfica, o maior centro de distribuição de encomendas do Rio de Janeiro, para entrega pelos Correios aos membros da organização criminosa. Já os reais compradores acabavam ficando sem os produtos, uma vez que as encomendas desapareciam no fluxo postal.

Ainda segundo a Polícia Federal, os carteiros - aparentemente - não participavam do esquema, uma vez que entregavam as mercadorias com etiquetas supostamente verdadeiras.

"Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa e peculato, além de outros que possam surgir no decorrer das investigações", informou a Polícia Federal, por meio de nota.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados