search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Produtos perigosos e riscos que transitam em nossas rodovias
Tribuna Livre

Produtos perigosos e riscos que transitam em nossas rodovias

Substâncias perigosas de diversas origens são transportadas diariamente pelas estradas brasileiras. Entre os milhares de veículos que atravessam o País, estão os que conduzem cargas perigosas e quase sempre passam despercebidos até chegarem em segurança aos seus destinos.

Quando ocorrem acidentes, as atenções se voltam para os perigos causados pelo derramamento inesperado de substâncias tóxicas. Recentemente, um acidente envolvendo uma carreta que carregava Peróxido de Hidrogênio (conhecido como água oxigenada), no Sul do Estado, trouxe à tona essa discussão.

O transporte rodoviário de produtos perigosos requer uma série de autorizações legais, incluindo o Licenciamento Ambiental, pois precisa garantir que o transportador possua as condições operacionais mínimas para a condução segura desses químicos.

Os veículos devem ser inspecionados periodicamente e possuir um conjunto de equipamentos para situações de emergência adequado ao produto transportado, além de um Plano de Ação de Emergência.

Todos os veículos precisam conter placas sinalizadoras das informações dos produtos que carregam. Nelas devem estar impressas o número ONU da substância (código usado para identificar materiais e artigos perigosos), os tipos de riscos envolvidos e os pictogramas dos riscos.

Toda essa sinalização é essencial para uma correta ação das equipes de respostas em um acidente. Substâncias inflamáveis necessitam de ações diferentes de produtos tóxicos.

O citado acidente, por exemplo, exigiu o isolamento da área num perímetro de 800 metros, pois os Bombeiros visualizaram um risco de explosão.

O produto também é corrosivo e tóxico, especialmente danoso aos organismos aquáticos, e podem causar queimaduras e danos oculares graves aos seres humanos. Por esses perigos, todos os cuidados devem ser tomados pelas empresas que realizam o transporte. Elas precisam atender a requisitos comuns a demais transportes, como manutenção periódica dos veículos, jornadas de trabalho dos motoristas compatíveis com a legislação, exames toxicológicos periódicos.

As empresas ainda são corresponsáveis pelas cargas que transportam, mesmo não sendo as proprietárias das mesmas. Por isso, devem providenciar os recursos necessários à limpeza das substâncias que eventualmente forem derramadas.

Os prejuízos são extensos e geralmente vão muito além das perdas financeiras que, em boa parte das vezes, podem ser recuperadas com o tempo. Já os danos causados por produtos químicos podem trazer consequências catastróficas a vidas humanas e ao meio ambiente.

Um transporte que atenda a todos os requisitos de segurança não é mero cumprimento de protocolo, mas uma medida de responsabilidade que irá fazer a diferença entre a segurança e a tragédia.

ANDRÉ ROCHA é engenheiro ambiental e especialista em gestão de riscos.
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Reforma administrativa. Mas qual? E, sobretudo, para quem?

A administração pública surgiu com o advento do Estado moderno e de uma necessidade, qual seja, conjugar os interesses do governo com os anseios dos súditos. Por um bom tempo, a grandeza do Estado …


Exclusivo
Tribuna Livre

Revisão de lei dá mais segurança para a administração pública

Segue em tramitação o Projeto de Lei 1.0887/2018 que pretende alterar vários dispositivos a Lei de Improbidade Administrativa (8.429/92). O projeto, originalmente apresentado pelo deputado Roberto de …


Exclusivo
Tribuna Livre

A pandemia e os respingos na segurança pública

A pandemia do coronavírus, identificada primeiramente na China, trouxe sofrimento com as mortes causadas, bem como medos e incertezas para o futuro, apresentando-se como um grande desafio para a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Precisamos falar sobre a imunidade parlamentar

Com o avanço dos meios de comunicação proporcionado pelas redes sociais, somando-se às práticas de desinformações e à vontade de “causar” e se tornar popular por uma opinião “polêmica”, cada vez mais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Como a união e o foco superam as dificuldades na pandemia

Cerca de 8 milhões de pessoas perderam o emprego no Brasil ao longo do ano de 2020 com a pandemia da Covid-19, segundo dados do IBGE. Isso significa pais e mães de família sem o rendimento mensal …


Exclusivo
Tribuna Livre

O papel da escola na relevância crescente da tecnologia

Tecnologia é o conjunto de técnicas, habilidades e processos para produzir bens e serviços. Ao longo da história, descobertas como controle do fogo e revolução neolítica contribuíram para a disponibi…


Exclusivo
Tribuna Livre

Riscos da privatização da Codesa

A privatização da Codesa avança, enquanto o governo estadual, os grupos políticos e a classe empresarial assistem passivamente. Será que, de fato, todos eles sabem o que está sendo proposto? Talvez …


Exclusivo
Tribuna Livre

Desafios para micromobilidade

Mesmo existindo no Espírito Santo boas iniciativas de micromobilidade na forma de compartilhamento de bicicletas ainda são grandes as barreiras que impedem a transformação dos modelos locais e …


Exclusivo
Tribuna Livre

A guerra pelas vacinas

Com o avanço progressivo da pandemia da Covid-19 e as dificuldades dos países em controlar a contaminação, principalmente com o surgimento sistemático de novas variantes, a possibilidade de conceder …