search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Primeiro beijo só após o casamento

Notícias

Cidades

Primeiro beijo só após o casamento


“Como assim, nunca se beijaram?” Essa é a frase mais ouvida pelo casal em cinco anos de namoro. A universitária Kalita Rissa Santos de Oliveira, de 19 anos, e o monitor de informática Aéliton Ramos Moreira, 25, decidiram que o primeiro beijo será somente no dia do casamento, previsto para maio.

Noivos Aéliton e Kalita estão com o casamento marcado para o mês de maio, tanto na igreja quanto no cartório (Foto: Roberta Bourguignon)
Noivos Aéliton e Kalita estão com o casamento marcado para o mês de maio, tanto na igreja quanto no cartório (Foto: Roberta Bourguignon)

A proposta partiu de Kalita, que não queria namorar várias pessoas e sim uma única pessoa com quem pudesse se casar e construir uma família. Assim, ela decidiu que só beijaria o único namorado, no altar, quando ouvisse, “agora podem se beijar”.

“O laço de confiança entre nós e Deus faz com que tenhamos fé, e seguimos firmes no nosso propósito. Não estamos desesperados com o casamento. Pelo contrário, estamos calmos. Acredito que tudo está acontecendo no tempo de Deus”, declarou Kalita.

Os dois fazem parte da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, no bairro Kubistchek, em Guarapari, onde se conheceram. A aproximação começou em 2015, quando ele era professor de estudos bíblicos na escola dominical da igreja, e Kalita era a aluna.

Aéliton disse que foi amor à primeira vista. “Eu queria me declarar logo no início, mas não podia, ela era minha aluna. Quando ela trocou de classe, fiz o primeiro contato. Trocamos número de telefone e dois dias depois ela mandou mensagem de parabéns, no dia do meu aniversário”, conta.

Depois da mensagem, Aéliton lembra que não teve dúvidas e procurou a Kalita para conversar. Logo de início, ela propôs que os dois orassem juntos para pedir a confirmação a Deus, e pediu a Aéliton que falasse com a mãe dela, sobre as intenções dele.

Após meses de oração e trocas de mensagem, eles decidiram que era hora de falar com a mãe dela. “Este dia foi tenso, contudo, a mãe dela foi sabiamente sucinta e disse que ela não tinha idade para namorar”, disse Aéliton. Porém isto não impediu que os dois se conhecessem.

O casamento estava marcado para abril, mas devido ao coronavírus, foi remarcado no cartório para maio. O casal aguarda retorno da igreja para a realização da cerimônia em maio, quando poderão dizer “sim” para o primeiro beijo.

“Nós dois mudamos muito”, Kalita Rissa - universitária

A Tribuna – Por que esperar o casamento para o beijo?
Kalita Rissa – Li o livro “Eu escolhi esperar”, de um rapaz que encontrou a moça e não a beijou. Eu me inspirei nessa história.

A Tribuna – Ficou com medo da reação dele?
De início eu falei que não queria namorar, mas que podíamos nos conhecer. Eu queria namorar para casar mesmo. Eu acredito que quando a gente faz nossa parte, Deus ajuda.

A Tribuna – Como foram esses anos?
Desde o início eu disse que seria até o altar. Ele tentou argumentar de ir até o noivado, mas eu insisti que seria somente no altar. Nós dois mudamos muito. Eu era uma menina muito introvertida, e aprendi a me comunicar. Ele aprendeu a ser mais responsável.

Hoje, eu sou professora de escola dominical, e ele é da equipe de multimídia da igreja.

A Tribuna – E qual a expectativa para o casamento?
O laço de confiança entre nós e Deus, faz com que tenhamos fé, e seguimos firmes no nosso propósito.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados