search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Previsão é de saques em massa da poupança

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Previsão é de saques em massa da poupança


 (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)
(Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)
A paralisação de diversas atividades econômicas em decorrência das medidas de enfrentamento do novo Coronavírus têm levado a uma onda de demissões no Espírito Santo. Com isso, especialistas preveem que ocorram saques em massa da poupança a partir do próximo dia 1º.

“Semana que vem começam a vencer as contas e, como muitos não vão ter salário, quem, por sorte, tiver dinheiro na poupança vai sacar esses recursos para pagar as contas que vencem em abril. Os demais, infelizmente, se tornarão inadimplentes”, explicou o economista Marcelo Loyola Fraga.

Marcelo alertou que o movimento de saques em massa compromete uma série de investimentos atrelados à poupança.

A opinião é compartilhada pelo economista Eduardo Araújo, segundo o qual, além das pessoas que perderam a renda recentemente, existem ainda casos de pessoas que, tomadas pela incerteza, tiraram dinheiro da poupança para realizar compras volumosas, principalmente de alimentos.

“E isso já vem acontecendo. Há algumas semanas, as pessoas tinham poucas informações, sem saber quanto tempo essa crise poderia durar, acabaram se precipitando e tirando o dinheiro que têm guardado, antes mesmo de haver a paralisação de certas atividades”, explicou Araújo.

No Espírito Santo, cerca de 2 milhões de pessoas têm dinheiro guardado na caderneta, segundo levantamento do presidente do conselho consultivo da Associação de Bancos do Espírito Santo (Arbes), Jorge Eloy Domingues.

Ele defende que aproximadamente 10% dos poupadores, ou seja, 200 mil pessoas, vão tirar dinheiro da poupança para pagar as contas a partir do mês de abril.

“Esse número pode crescer se essa crise durar muito mais tempo, e os setores de comércio e serviços continuarem a ter restrições.”

Já o economista e professor da Fucape, Fernando Caio Galdi, declarou que sacar o dinheiro da poupança é um movimento precipitado por parte da população.

“O governo federal está divulgando algumas medidas para compensar eventuais perdas que os trabalhadores tenham, e isso pode compensar alguma dificuldade de caixa. É melhor esperar mais alguns dias antes de sacar dinheiro da poupança.”


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados