search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Por que o Tribunal de Contas deu certo
Tribuna Livre

Por que o Tribunal de Contas deu certo

O Tribunal de Contas do Espírito Santo completou 62 anos de existência em 2019. Por desairosa que seja, a verdade é que, ao longo do tempo, consumiu imensos recursos públicos em ajustes políticos que envolviam clientelismo e troca de favores entre aliados, assegurando aprovações de contas em troca de cargos de confiança e arranjos político-partidários.

À época, as auditorias e instruções técnicas nos processos eram feitas por servidores ocupantes de cargos em comissão, que poderiam ser demitidos a qualquer momento se desobedecessem às ordens de seus superiores hierárquicos.

Portanto, eram falsos “auditores” que não tinham qualquer independência para desenvolver um trabalho técnico. Se algum, por convicção profissional ou por retidão de caráter, se recusasse a inserir ou omitir informações por determinação de conselheiros ou chefes, estava sujeito à exoneração.

Agregava-se ao problema o fato de que muitos daqueles servidores eram nomeados apenas por relações de parentesco e amizade com autoridades, sem ter formação técnica adequada. Muitos nem mesmo tinham escolaridade superior.

A chegada dos auditores concursados, que ocorreu a partir de 1995, menos sujeitos a pressões, representou uma mudança de ares.

De início, profundamente hostilizados pelos servidores antigos, logo passaram a demonstrar supremacia técnica inconteste, encontrando irregularidades e desvios de recursos como nunca antes ocorrera, minando a capacidade de operação política dos conselheiros, pois apenas com dificuldades eram capazes de elidir os gravames contra os gestores.

Ainda que a prática de permitir que os servidores comissionados continuassem a participar de auditorias tenha perdurado por mais de uma década (apenas a presidência do conselheiro Carlos Ranna encerrou a prática), a supremacia dos auditores concursados não era mais questionada.

Contudo, ainda que a área técnica tivesse conseguido relativa independência, pois muitos chefes se empenhavam em criar constrangimento ou até a insinuar ameaças para coagir os profissionais, não tinha competência para decidir.

Em última instância, as irregularidades acabavam afastadas quando os conselheiros julgavam os casos.

Depois de 1995, podemos dizer que uma das pernas do Tribunal de Contas estava curada, a da área técnica, mas a outra perna ainda estava doente, a do plenário. Desse modo, a Corte não andava.

Entretanto, a chegada à presidência do conselheiro Sérgio Aboudib, em 2011, representou uma virada de mesa.

O plenário, que já vinha se renovando, se depurou com a inclusão de novos conselheiros com outras trajetórias profissionais e de vida.

Atualmente, ao final da terceira presidência do conselheiro Aboudib, entremeada pelas dos conselheiros Carlos Ranna e Domingos Taufner, tem-se um dos tribunais de contas mais modernos do país, sendo referência tecnológica, legislativa e administrativa para os congêneres.

Hoje, as duas pernas do Tribunal de Contas funcionam ritmicamente, como fórmula que permite o sucesso da instituição.

No início do próximo ano, o conselheiro Rodrigo Chamoun receberá o ônus da investidura presidencial. Que tenha sucesso.

Sergio Lievore é auditor de controle externo

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

A violência doméstica durante a pandemia

Devido ao isolamento social na pandemia da Covid-19, houve um aumento da violência doméstica. A Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006 – que completa 14 anos hoje –, mais conhecida como Lei Maria da …


Exclusivo
Tribuna Livre Nutridicas

Cuidados com a alimentação para manter a saúde do paizão

Os homens estão cada vez mais cuidando da sua beleza, mas... e com relação à saúde, como estão? Será que estão tão ligados assim? Não há como negar que os cuidados com a saúde devem estar presentes …


Exclusivo
Tribuna Livre

Privatização do Porto de Vitória volta a ser discutida

A privatização do sistema portuário capixaba voltou a ser pautada. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que em outubro, provavelmente, será realizada uma consulta pública para a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Afastem-se logo dos milagreiros tributários

Em meio à grave crise econômica que assola o Brasil e o mundo, empresas se veem cada vez mais descapitalizadas e diante de uma equação que leva à pena de morte: inadimplência e custos cada vez mais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Cuide da saúde do seu coração durante o isolamento social

Nesses tempos de distanciamento social, quem possui alguma doença cardiovascular deve redobrar a atenção com a saúde. De acordo com dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mudanças de hábito valorizam a importância do papel

As embalagens estão cada vez mais no radar das empresas. Seja papel cartão, papelão ondulado ou nos moldes de leite longa vida, as embalagens de papel têm se tornado a menininha dos olhos no mundo …


Exclusivo
Tribuna Livre

A sociedade precisa saber mais sobre a agricultura familiar

Não há governante que, nos dias atuais, consciente do seu papel, não compreenda a necessidade de se investir num setor tão importante para o povo brasileiro. Muito se fala em manutenção do homem …


Exclusivo
Tribuna Livre

Novos modos de vida e a “economia de baixo contato”

Enquanto algumas tendências sinalizam movimentos socioculturais ou respostas para os desafios globais persistentes, outras emergiram do contexto específico da pandemia da Covid-19. A tendência da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Trezena de Santo Antônio muda de data sem perder a vocação

Há quase oito décadas, com festivas solenidades, é pela primeira vez que a Trezena de Santo Antônio deixou de acontecer nos 13 dias do mês de junho, na Paróquia e Santuário-Basílica, em Vitória. A …


Exclusivo
Tribuna Livre

A modernização dos cartórios em tempos de Covid-19

Mesmo antes da pandemia, o sistema cartorário já tinha migrado diversos serviços para serem solicitados e feitos através das centrais online. Durante o período da quarentena, essas centrais se …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados