X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Sem urgência para congelar o IPVA na Assembleia

Foram 20 votos contra o pedido para acelerar a votação da proposta que impede reajuste do imposto cobrado sobre veículos no Estado


Imagem ilustrativa da imagem Sem urgência para congelar o IPVA na Assembleia
Discussão entre deputados durante votação do regime de urgência para vários projetos, todos rejeitados |  Foto: Ellen Campanharo/Ales

O pedido de urgência para votar o projeto de lei que congela o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no Estado foi recusado em votação na segunda-feira (7), na Assembleia Legislativa.

Os deputados optaram por não colocar a proposta como urgência para votação. No placar final, 20 parlamentares votaram contra o pedido de urgência, oito foram a favor de antecipar a votação e um deputado se absteve de votar.

A proposta em questão visa manter os valores de 2020 dos veículos em relação ao exercício de 2022. 

O autor do projeto é o deputado Hudson Leal (Republicanos) e busca amenizar os efeitos da crise econômica provocada pela pandemia de covid-19 no Estado.

O congelamento, pelo projeto, vai perdurar enquanto for válido o decreto de calamidade pública decretado pelo Estado em razão da crise sanitária. 

A diferença entre o IPVA a ser pago em 2022 e o imposto pago em 2021 pode variar de 14% a 27%, segundo a Assembleia.

Esse aumento ocorre devido à falta de semicondutores nas fábricas, o que afetou a produção. Segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe, o valor médio dos veículos no País aumentou 24,9% nos últimos 12 meses.

Quente

Os pedidos de urgência de outros projetos de lei também foram colocados em pauta durante a sessão de segunda-feira (7) na Casa e foram rejeitados pela maioria dos deputados. Com isso, o clima esquentou no plenário, especialmente no que dizia respeito da votação que desejava derrubar uma portaria da Secretaria de Saúde (Sesa) que estabeleceu o chamado passaporte vacinal.

Existiam duas solicitações no sentido e ambas foram derrotadas. Elas foram votadas em conjunto e o placar foi 18 a 7 pela rejeição da votação com urgência.

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB) lembrou de quando o pai ficou internado com a doença ao votar contra o pedido de urgência do projeto de lei.

“Eu internei meu pai por 14 dias e pude conversar com um técnico que, chorando, me relatou que o pai dele morreu de covid e não havia vacina. A pessoa não é obrigada a se vacinar. Mas quem tomou a vacina, quase 80% da população, tem o direito de estar num ambiente em que as pessoas se vacinaram”, pontuou Lamas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: