Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Marcos Pontes deixará governo e diz que indicará substituto na Ciência

O ministro pretende se candidatar nas eleições desse ano

Agência Folhapress | 01/03/2022 10:36 h

O  ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações,  Marcos Pontes
O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações,  Marcos Pontes |  Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
 

O ministro Marcos Pontes (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações) confirmou nesta terça-feira (1º) que deixará o ministério e indicará o substituto para assumir a pasta. "A lista [com as sugestões de substitutos] está com o presidente [Jair Bolsonaro]", afirmou.

Ele vai se candidatar à Câmara dos Deputados pelo PL (mesmo partido do presidente Bolsonaro) por São Paulo. A informação da saída do ministro havia sido publicada nesta segunda-feira (31) no site Metrópoles.

Pontes disse que os nomes apontados são do próprio ministério para garantir uma continuidade no trabalho. Ele não revelou quais foram as suas indicações.

Devido à legislação eleitoral, ministros que serão candidatos devem deixar os cargos até o dia 1º de abril.

Pontes assumiu o ministério logo no começo do governo Jair Bolsonaro, em janeiro de 2019. Na época, a pasta ainda tinha o nome de "Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações", mas, em outubro de 2020, foi desmembrado para a recriação do Ministério das Comunicações.

Marcos Pontes participou da assinatura de um documento com a avaliação do cenário de inteligência artificial e propostas para área no Brasil durante o Mobile World Congress 2022, principal feira do mundo do setor de telecomunicações que ocorre nesta semana em Barcelona.

O documento foi desenvolvido em uma parceria da Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro), ligada ao ministério, e a chinesa Huawei.

Orçamento Com cautela, Pontes comemorou o orçamento aprovado para 2022, mas disse ainda não ser o suficiente. Segundo o jornal O Globo, serão R$ 6,9 bi.

"Agora que temos recursos, muitos pesquisadores que saíram vão voltar para o país", afirmou Pontes citando um projeto para que cientistas trabalhem na Amazônia, em parceria com estrangeiros, e o desenvolvimento de um laboratório de biossegurança máxima em Campinas.

*O jornalista viajou a convite da Huawei.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS