X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A TRIBUNA
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A TRIBUNA
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Lula terá 37 ministérios com divisão do Planejamento e recriação da Pesca

Equipe de Lula tinha a expectativa de que fossem anunciados novos ministros até sexta-feira (16), mas a definição travou em meio às discussões da PEC


Futuro ministro da Casa Civil e governador da Bahia, Rui Costa (PT) disse neste sábado (17) que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terá 37 ministérios.

A lista dos ministérios ainda não foi divulgada. Costa confirmou à imprensa que será criada uma pasta para a pesca. A Economia ainda será fatiada em Fazenda, Indústria e Comércio, além de Planejamento e uma pasta específica para gestão.

Já o atual Ministério da Infraestrutura será transformado em duas pastas, uma para tratar de transporte e outra sobre portos e aeroportos.

O futuro chefe da Casa Civil disse que a escolha dos ministros não será afetada pela votação na Câmara da PEC da Transição.

O presidente Arthur Lira (PP-AL) teria sinalizado a aliados que pode facilitar a aprovação da proposta se emplacar aliados em cargos do primeiro escalão do governo Lula.

"O Senado em momento nenhum condicionou [a aprovação] a uma negociação de ministérios ou de cargos, e a gente tem a confiança, crença, de que a Câmara fará a mesma coisa. Então o presidente [Lula] não quer vincular uma coisa a outra", disse Costa.

Ele afirmou que a futura gestão também terá o Ministério dos Povos Originários, outro para esportes e uma pasta para as mulheres. Ainda citou a criação do Ministério das Cidades, a partir do desdobramento do Desenvolvimento Regional.

Imagem ilustrativa da imagem Lula terá 37 ministérios com divisão do Planejamento e recriação da Pesca
A equipe de Lula tinha a expectativa de que fossem anunciados novos ministros até sexta-feira (16), mas a definição travou em meio às discussões da PEC da Transição |  Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

"Ele [Lula] entende que esta é uma questão muito emblemática não só para o Brasil, mas para a comunidade internacional. O Brasil se desgastou muito ao longo dos últimos anos com essa questão simbólica e importante dos indígenas", disse Costa.

Segundo o futuro ministro, não haverá aumento de despesas do governo para ampliar o número de ministérios. Isso porque os cargos atuais serão reformulados para acomodar o plano de Lula. Além disso, alguns ministérios vão compartilhar setores como de assuntos jurídicos.

Havia 12 pastas em 1990, sob Fernando Collor, que dois anos depois elevou o número para 14. Com Lula chegou-se a 37 ministérios.

Na gestão Dilma Rousseff (PT) a Esplanada dos Ministérios bateu o recorde de 39 pastas. O presidente Jair Bolsonaro (PL) prometeu que teria apenas 15, mas começou com 22 e termina o mandato com 23 pastas.

"A ideia central é repetir o que a gente está chamando de Lula 2, a estrutura do segundo governo de Lula, que se encerrou em 2010", disse Costa.

"Esses ministérios com perfil mais garantidores de políticas transversais, como das mulheres, negros e indígenas, serão focados e terão seus cargos definidos para a área-fim, buscando garantir transversalidade ao governo", afirmou ainda.

A equipe de Lula tinha a expectativa de que fossem anunciados novos ministros até sexta-feira (16), mas a definição travou em meio às discussões da PEC da Transição.

Uma das áreas cobiçadas por Lira é o Ministério das Minas e Energia. O presidente da Câmara defende a nomeação de um aliado, o deputado federal Elmar Nascimento (União Brasil-BA). O nome do parlamentar, porém, enfrenta resistências no próprio setor de energia.

Lira ainda teria pedido o comando da Saúde, mas o nome favorito de Lula segue sendo a socióloga e presidente da Fiocruz, Nísia Trindade.

Rui Costa também está à frente das negociações com o atual governo para liberar residências oficiais de Brasília para Lula e sua equipe.

Ele afirmou que a Granja do Torto deve ser visitada nos próximos dias pela equipe de Lula, mas que o presidente diplomado ainda não deve deixar o hotel em que está hospedado.

"Não há nos próximos dias a possibilidade de o presidente mudar, porque nós iremos visitar agora na próxima semana, possivelmente até segunda-feira (19)", disse Costa.

"O presidente só mudará para este e outros espaços depois de feitos os levantamentos de todas as pendências e tomadas todas as medidas de eventuais reparos necessários aos imóveis. Você tem que pintar, higienizar, estocar equipamentos e materiais de uso mais íntimo e pessoal", afirmou ainda.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: