X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Justiça manda Câmara de São Mateus devolver à prefeitura R$ 600 mil

| 03/06/2020 17:17 h

A Câmara de Vereados de São Mateus, na Região Norte do Estado, vai ter que devolver o valor de R$ 593.506,80 para a prefeitura como sobra do duodécimo, ou seja, repasse mensal efetuado pela prefeitura para custear despesas do Legislativo com folha de pagamento, manutenção e outros investimentos, conforme prevê a legislação. O valor deverá ser devolvido em conta judicial.

Prefeitura de São Mateus: ações
Prefeitura de São Mateus: ações |  Foto: Edson Sodré - 17/01/17
A ação foi protocolada pelo município contra a Câmara e a decisão é da juíza, Thaita Campos Trevizan, da 2ª Vara Cível (Fazenda Pública) da Comarca de São Mateus/ES. A prefeitura entrou com um processo em decorrência da apuração de saldo financeiro (superávit) de duodécimo não utilizado pela Câmara durante os exercícios de 2017 e 2018.

A decisão judicial foi dada nesta terça-feira (02) e deve ser cumprida em 10 dias sob pena de medidas mais duras “que possibilitem o resultado prático equivalente”.

O procurador-geral do município,Selem Barbosa de Faria, informou que a medida judicial foi tomada tendo vista a previsão legal e jurisprudencial de devolução do superávit do duodécimo, sendo, inclusive, matéria massificada em vários Tribunais de Contas do País.

“A decisão da juíza foi bastante técnica e em consonância com os entendimentos doutrinários e jurisprudenciais, proporcionando ao município o restabelecimento de uma garantia prevista na Lei Orgânica Municipal. É de suma importância que ocorram as devoluções ao final de cada exercício, pois garante o melhor uso do dinheiro público pela municipalidade”, disse Faria.

Entenda a devolução
Os recursos do poder Legislativo provêm de repasses que o poder Executivo faz. Quando o valor não é gasto, por lei, as Câmaras são obrigadas a devolver o montante. No entanto, cada Câmara tem total autonomia para gastar 100% do valor caso julgue necessário, cabe então à Presidência de cada Câmara definir quais serão as prioridades e quanto será gasto pela instituição.

O duodécimo é um repasse feito à Câmara de Vereadores, assegurado constitucionalmente, calculado de acordo com o valor da receita corrente anual do Poder Executivo, a fim de que o Legislativo use os recursos para custeio e pagamentos de salários.

Após atendidas todas as despesas, anualmente, a Câmara deverá efetuar a devolução ao Poder Executivo. Isto porque os órgãos do Poder Legislativo não são órgãos arrecadadores, não possuem receita própria, a não ser a que recebe por meio desse repasse.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS