X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Governo do Estado vai dar reajuste a PMs e Bombeiros

| 07/02/2020 18:30 h | Atualizado em 08/02/2020, 09:30

O governo do Estado anunciou que vai dar reajuste salarial aos policiais e bombeiros militares até 2022. O aumento começa este ano, com um percentual de 7,5%, sendo 4% de ganho real, a partir de julho, e reposição da inflação - que, em 2019, foi de 3,5% -, em dezembro.

O aumento total será de até 35,53% nos próximos três anos, segundo o governo. Esse percentual está explicado na tabela mais abaixo. O governo havia informado, mais cedo, que o reajuste ao todo seria de 36% ao longo de três anos, contudo depois o cálculo foi refeito pelos técnicos e o resultado foi de 35,53%.

De acordo com o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, o reajuste de 4% também será aplicado em 2021 e 2022, além da reposição inflacionária. O anúncio foi feito ontem.

"A equipe do governo tem o compromisso de resolver um problema crônico, que resultou na greve da PM, em 2017. Depois de discutir com a equipe econômica e os comandos das corporações, chegamos a essa proposta para os profissionais da segurança do Estado."

Duboc disse que, com o reajuste, a classe militar terá um aumento de até 35,53% no poder de compra nos próximos três anos, o que vai variar de acordo com a patente. Para os praças - soldados, cabos, sargentos e subtenentes - haverá ainda um acréscimo de 5% com a incorporação de escalas de serviço.

"Estamos fazendo uma recomposição de perdas inflacionárias da classe e aumentando o poder de compra", afirmou o secretário.

A proposta de reajuste, que será apresentada às associações de PMs e bombeiros, precisa passar pelo crivo da Assembleia Legislativa. Para os demais servidores estaduais, Duboc garantiu a reposição inflacionária anual, mas não citou números com relação a reajustes.

Em relação à aposentadoria dos militares, o secretário lembra que serão replicadas as regras federais. "Temos um prazo para encaminhar o texto à Assembleia e estamos produzindo o projeto, que ainda está em estudo pela equipe técnica. Devemos mandar o projeto junto com os demais estados".

O secretário de Estado da Fazenda, Rogélio Pegoretti, afirmou que o reajuste aos militares só foi possível devido à situação fiscal organizada do Espírito Santo. "Com a boa gestão das despesas e da arrecadação, temos condições de valorizar os profissionais da segurança".

Reajustes

O governo do Estado trabalha com a proposta de que haja um reajuste de 4% nos meses de julho deste ano, de 2021 e de 2022.

Além disso, haverá a recomposição da inflação, que ocorre nos meses de dezembro e é prevista para ficar em 3,5%. Considerando o governo atual, o cálculo inclui os anos de 2019, 2020, 2021 e 2022.

Como funciona o cálculo

  • O cálculo é um reajuste escalonado, ou seja, cada novo percentual incide em cima do que foi reajustado anteriormente. Para exemplificar, o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, usou um valor de R$ 100.
  • Com a recomposição da inflação em 2019 de 3,5%, o salário subiu para R$ 103,50 a partir de janeiro.
  • Em julho de 2020, os R$ 103,50 receberão o reajuste de 4%, passando para R$ 107,64.
  • No final deste ano, ocorrerá outra reposição de inflação, em dezembro. Assim, os R$ 107,64 seriam reajustados para R$ 111,41.
  • Com o reajuste de 4% em julho de 2021, os R$ 111,41 subiriam para R$ 115,87. E, com a reposição de dezembro de 2021 de 3,5%, os R$ 115,87 passariam para R$ 119,92.
  • Em 2022, o reajuste de 4% em julho fará com que os R$ 119,92 subam para R$ 124,72.
  • Por fim, a reposição da inflação de 3,5%, no final do mesmo ano, fará o hipotético salário subir de R$ 124,72 para R$ 129,08.
  • Sendo assim, o aumento salarial será de 29,08%.

Exceções

  • Subtenentes, sargentos, cabos e soldados terão um acréscimo maior.
  • Isso ocorre porque o governo vai incorporar uma escala de trabalho, que reflete em um aumento de 5% de seus salários. Essa incorporação já havia sido feita nos outros cargos.
  • Com isso, os 5% serão acrescentados ao final de 2020 do cálculo anterior. Assim, os R$ 111,41 do exemplo apresentado, com os 5%, irão para R$ 116,98.
  • Dessa forma, seguindo o cálculo da mesma maneira que foi realizado no exemplo anterior, ao final do ano de 2022, o salário do exemplo será de R$ 135,53.
  • Com isso, haverá um aumento que chega a 35,53%, nesses casos.

Fontes: Álvaro Duboc e Tyago Hoffman.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS