X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Governo do Estado vai dar reajuste a PMs e Bombeiros

| 07/02/2020 18:30 h | Atualizado em 08/02/2020, 09:30

O governo do Estado anunciou que vai dar reajuste salarial aos policiais e bombeiros militares até 2022. O aumento começa este ano, com um percentual de 7,5%, sendo 4% de ganho real, a partir de julho, e reposição da inflação - que, em 2019, foi de 3,5% -, em dezembro.

O aumento total será de até 35,53% nos próximos três anos, segundo o governo. Esse percentual está explicado na tabela mais abaixo. O governo havia informado, mais cedo, que o reajuste ao todo seria de 36% ao longo de três anos, contudo depois o cálculo foi refeito pelos técnicos e o resultado foi de 35,53%.

De acordo com o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, o reajuste de 4% também será aplicado em 2021 e 2022, além da reposição inflacionária. O anúncio foi feito ontem.

"A equipe do governo tem o compromisso de resolver um problema crônico, que resultou na greve da PM, em 2017. Depois de discutir com a equipe econômica e os comandos das corporações, chegamos a essa proposta para os profissionais da segurança do Estado."

Duboc disse que, com o reajuste, a classe militar terá um aumento de até 35,53% no poder de compra nos próximos três anos, o que vai variar de acordo com a patente. Para os praças - soldados, cabos, sargentos e subtenentes - haverá ainda um acréscimo de 5% com a incorporação de escalas de serviço.

"Estamos fazendo uma recomposição de perdas inflacionárias da classe e aumentando o poder de compra", afirmou o secretário.

A proposta de reajuste, que será apresentada às associações de PMs e bombeiros, precisa passar pelo crivo da Assembleia Legislativa. Para os demais servidores estaduais, Duboc garantiu a reposição inflacionária anual, mas não citou números com relação a reajustes.

Em relação à aposentadoria dos militares, o secretário lembra que serão replicadas as regras federais. "Temos um prazo para encaminhar o texto à Assembleia e estamos produzindo o projeto, que ainda está em estudo pela equipe técnica. Devemos mandar o projeto junto com os demais estados".

O secretário de Estado da Fazenda, Rogélio Pegoretti, afirmou que o reajuste aos militares só foi possível devido à situação fiscal organizada do Espírito Santo. "Com a boa gestão das despesas e da arrecadação, temos condições de valorizar os profissionais da segurança".

Reajustes

O governo do Estado trabalha com a proposta de que haja um reajuste de 4% nos meses de julho deste ano, de 2021 e de 2022.

Além disso, haverá a recomposição da inflação, que ocorre nos meses de dezembro e é prevista para ficar em 3,5%. Considerando o governo atual, o cálculo inclui os anos de 2019, 2020, 2021 e 2022.

Como funciona o cálculo

  • O cálculo é um reajuste escalonado, ou seja, cada novo percentual incide em cima do que foi reajustado anteriormente. Para exemplificar, o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, usou um valor de R$ 100.
  • Com a recomposição da inflação em 2019 de 3,5%, o salário subiu para R$ 103,50 a partir de janeiro.
  • Em julho de 2020, os R$ 103,50 receberão o reajuste de 4%, passando para R$ 107,64.
  • No final deste ano, ocorrerá outra reposição de inflação, em dezembro. Assim, os R$ 107,64 seriam reajustados para R$ 111,41.
  • Com o reajuste de 4% em julho de 2021, os R$ 111,41 subiriam para R$ 115,87. E, com a reposição de dezembro de 2021 de 3,5%, os R$ 115,87 passariam para R$ 119,92.
  • Em 2022, o reajuste de 4% em julho fará com que os R$ 119,92 subam para R$ 124,72.
  • Por fim, a reposição da inflação de 3,5%, no final do mesmo ano, fará o hipotético salário subir de R$ 124,72 para R$ 129,08.
  • Sendo assim, o aumento salarial será de 29,08%.

Exceções

  • Subtenentes, sargentos, cabos e soldados terão um acréscimo maior.
  • Isso ocorre porque o governo vai incorporar uma escala de trabalho, que reflete em um aumento de 5% de seus salários. Essa incorporação já havia sido feita nos outros cargos.
  • Com isso, os 5% serão acrescentados ao final de 2020 do cálculo anterior. Assim, os R$ 111,41 do exemplo apresentado, com os 5%, irão para R$ 116,98.
  • Dessa forma, seguindo o cálculo da mesma maneira que foi realizado no exemplo anterior, ao final do ano de 2022, o salário do exemplo será de R$ 135,53.
  • Com isso, haverá um aumento que chega a 35,53%, nesses casos.

Fontes: Álvaro Duboc e Tyago Hoffman.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS