X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Eduardo Bolsonaro compara professores a traficantes de drogas e gera revolta

Fala em evento pró-armas fez o nome do deputado entrar na lista de assuntos mais comentados do Twitter


Imagem ilustrativa da imagem Eduardo Bolsonaro compara professores a traficantes de drogas e gera revolta
Eduardo Bolsonaro compara professores a traficantes de drogas |  Foto: Reprodução/Instagram

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) comparou professores "doutrinadores" a traficantes em um discurso durante um evento pró-armamento em Brasília neste domingo (9).

"Não tem diferença de um professor doutrinador para um traficante de drogas que tenta sequestrar e levar os nossos filhos para o mundo do crime", disse o filho do ex-presidente Jair Bolsonaro no IV Encontro Nacional Pró-Armas pela Liberdade.

Na sequência, Eduardo afirmou que o professor "doutrinador" talvez seja "ainda pior" do que o traficante. "Porque ele vai causar discórdia dentro da sua casa, enxergando opressão em todo tipo de relação."

A fala fez o nome do deputado entrar na lista de assuntos mais comentados do Twitter.

Parlamentares de esquerda condenaram o discurso nas redes sociais. "Repugnante", afirmou a deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP).

O deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP) disse que entrará com uma representação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados contra Eduardo Bolsonaro. "Esse insulto a todos os professores brasileiros não pode ficar impune", escreveu Boulos no Twitter.

 O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, afirmou ter pedido que a Polícia Federal apure os discursos no evento com a participação de Eduardo Bolsonaro.

"Objetivo é identificar indícios de eventuais crimes, notadamente incitações ou apologias a atos criminosos", escreveu Dino nas redes sociais.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: