X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Críticas e defesa a Zema na Assembleia Legislativa do Espírito Santo

Deputados aprovaram criação de consórcio e reagiram a falas do governador de Minas, que falou em frente contra o Nordeste


Imagem ilustrativa da imagem Críticas e defesa a Zema na Assembleia Legislativa do Espírito Santo
Deputados no plenário da Assembleia: divergências sobre declaração |  Foto: Lucas S. Costa / Ales

Apesar da maioria dos deputados presentes na sessão de ontem na Assembleia Legislativa ter aprovado o projeto de lei que constitui o Consórcio de Integração dos estados do Sul e Sudeste do Brasil (Cosud), a votação foi marcada por discursos que criticaram e defenderam o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).

O motivo  foi a recente declaração de Zema ao jornal O Estado de São Paulo. Em entrevista, ele disse que a criação do Cosud tinha objetivo de “defender as regiões de tratamento privilegiado às demais regiões do País”. Zema comparou o Nordeste com “vaquinhas que produzem pouco”. 

Durante a votação de ontem, a deputada Camila Valadão (Psol) foi a primeira a se manifestar. De acordo com ela, a fala de Zema foi preconceituosa, divisionista e separatista. 

 “Constituir um consórcio nos moldes defendidos por Romeu Zema é um retrocesso, um desrespeito à Constituição do País. Entendemos a importância de consórcios no sentido de pensar cooperação local, a partilha de boas práticas, mas a afirmação de Zema é uma demonstração de discurso xenofóbico”, disse. 

Logo em seguida, o deputado Lucas Polese (PL) subiu à tribuna da Casa e disse que não  concorda com as críticas destinadas ao governador Romeu Zema.

 “As pessoas se posicionam a favor ou contra as pautas dependendo de quem as apresenta. Quando o Zema propõe um consórcio, assim como existe no Nordeste, só porque foi ele que propôs ele se torna xenofóbico e preconceituoso. Me manifesto a favor do Cosud, da posição de Zema e dos governadores que visam ao benefício das regiões do Sul”, pontuou.

  O vice-líder do governo Tyago Hoffmann (PSB) disse que concorda com a fala da deputada Valadão e que a manifestação de Zema foi infeliz. “O consórcio não foi criado para separar, segregar brasileiros, somos uma única federação”, disse. 

Depois das discussões, o projeto foi aprovado com  dois votos contrários, das deputadas Camila Valadão e Iriny Lopes (PT). Iriny, por sua vez, justificou que haveria interesses extraoficiais e um “projeto de oposição” por trás do Cosud.

Bolsonaro alfineta governador de Minas

O ex-presidente  Bolsonaro (PL) comentou a recente polêmica que envolve as declarações de Zema (Novo), criticado por “xenofobia”, contra o Nordeste.  

Bolsonaro criticou as falas do governador. “Minha filha é neta de um cearense e São Paulo é a cidade que mais tem nordestino no Brasil”, disse. Zema também se posicionou sobre o assunto, dizendo que sua proposta de união entre as regiões não era para diminuir outras.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: