X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Contarato e Rose de Freitas vão votar a favor da nomeação de Kassio Nunes no STF

| 20/10/2020 12:19 h

Contarato e Rose já declararam voto favorável ao indicado, enquanto Do Val vai esperar sabatina em comissão
Contarato e Rose já declararam voto favorável ao indicado, enquanto Do Val vai esperar sabatina em comissão |  Foto: Fotos: Agência Senado

O juiz federal Kassio Nunes receberá votos positivos dos senadores Rose de Freitas (sem partido) e Fabiano Contarato (Rede) para se tornar ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele precisa de ao menos 41 dos 81 votos. Os parlamentares confirmaram o voto à reportagem.

O senador Marcos do Val (Cidadania) disse que vai esperar a sabatina da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), marcada para amanhã. Kassio precisará de 14 votos dentre os 27 membros da CCJ após a sabatina.

Segundo a Folha de S. Paulo, o juiz tem dividido sua agenda entre encontros com parlamentares e atores relevantes do mundo político com o estudo das últimas sabatinas realizadas pela CCJ para vaga no Supremo.

Kassio reuniu vídeos e textos da bateria de questionamentos feitos a indicados como Alexandre de Moraes, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso. Em temas com potencial de muitas perguntas, o juiz federal já ensaia o discurso.

Sobre a participação do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) e de seu ex-advogado Frederick Wassef em sua indicação, Kassio pretende dizer que conhece os dois, se reuniu com eles para discutir eventual indicação ao Superior Tribunal de Justiça, mas que desconhece o quanto participaram na escolha do seu nome para o STF.

Em relação ao governador do Piauí, Wellington Dias (PT), a quem é atribuída sua indicação ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região em 2011, deve dizer que, embora o conheça, não tem relação próxima com o petista.

Atribuirá sua chegada ao TRF-1 a uma articulação da advocacia – a vaga no tribunal regional era destinada à categoria, o chamado quinto constitucional.

Pretende também, como tem feito nos contatos mantidos nos últimos dias com os senadores, relacionar documentos como diplomas e declarações que atestem a lisura dos títulos acadêmicos conquistados após se formar em Direito.

Além dessas questões, é fundamental que Kassio responda a outras perguntas decisivas para uma definição sobre seu preparo para assumir um assento no tribunal responsável por interpretar a Constituição.

Kassio deve assumir o lugar de Celso de Mello, que se aposentou no último dia 13.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS