X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Comissão vai decidir projeto que proíbe passageiros em pé no Transcol

Três comissões da Casa vão analisar proposta que anula a autorização para ônibus do Transcol durante a pandemia


Imagem ilustrativa da imagem Comissão vai decidir projeto que proíbe passageiros em pé no Transcol
Deputados no plenário da Assembleia: proposta irá a votação pelos parlamentares caso aprovada nas comissões |  Foto: Ellen Campanharo/Ales

Um projeto de decreto legislativo (PDL) que tramita na Assembleia Legislativa quer anular ato das secretarias de Estado da Saúde (Sesa) e de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) que autoriza o transporte de passageiros em pé nos ônibus do sistema Transcol.

A proposta é do deputado Carlos Von (Avante). Ela chegou a ter um requerimento de regime de urgência rejeitado, e foi encaminhada para análise das comissões de Justiça, Saúde e Finanças para que seja gerado parecer técnico. Se aprovada nos colegiados, ela será encaminhada para votação dos deputados em plenário.

A proposta tem como objetivo revogar a portaria 2-R, de 21 de janeiro deste ano, que revogou outra portaria, a 149-R, de 29 de julho de 2020, que determinava que as viagens no Transcol só poderiam acontecer com todos os passageiros sentados. Com isso, a portaria de 2020 voltaria a ser válida. 

Outro trecho da 149-R diz que a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb) deve dimensionar as linhas, viagens e frota do Transcol para operar com capacidade superior à demanda de passageiros, com o objetivo de preservar um distanciamento social mínimo dentro dos ônibus.

“Exatamente na contramão dos anseios da população, o governo do Estado tomou a medida de liberar a circulação de passageiro em pé no transporte público, com consequência a diminuição da frota de ônibus circulando”, justificou Carlos Von em sua proposta. 

Para ele, é necessária a “imposição de medidas de restrição de circulação populacional focalizadas nos ambientes público-coletivos que importem elevado grau de contaminação interpessoal por covid-19”. Ele também reforçou que outras doenças virais têm afetado a população, com apresentação de quadros clínicos graves.

Questionadas pela reportagem, tanto a Sesa como a Semobi não deram retorno até o fechamento desta edição.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: