X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Vice-prefeito é preso em MG depois de dar tapas nas nádegas de faxineira

A prisão foi por importunação sexual dentro da sede municipal

Leonardo Augusto, da Agência Folhapress | 23/07/2022 16:30 h

Vice-prefeito foi preso em flagrante por importunação sexual.
Vice-prefeito foi preso em flagrante por importunação sexual. |  Foto: Divulgação
 

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - O vice-prefeito de Mateus Leme (MG), Anderson Wester de Sousa, 54, foi preso em flagrante nesta quinta-feira (21) por importunação sexual depois de dar tapas nas nádegas de uma servidora dentro da prefeitura.

Ele passou por audiência de custódia, pagou fiança e foi solto nesta sexta (22). A reportagem não conseguiu contato com o vice-prefeito. A assessoria de imprensa do município disse que ele e seu advogado não se posicionariam.

A servidora que fez a denúncia é faxineira e copeira no prédio em que funciona a prefeitura. Ela contou à polícia que estava varrendo a cozinha por volta das 8h30 desta quinta quando Sousa deu dois tapas nas nádegas dela.

A mulher, que tem 44 anos, disse que já havia repreendido Sousa, pois não foi a primeira vez que ele agiu dessa forma. A servidora afirmou que o vice-prefeito também costumava cumprimentar com beijo no pescoço. E que também fazia isso com outras pessoas que trabalham prefeitura.

A faxineira se dirigiu à polícia logo depois dos tapas. Ao saber que a mulher tinha ido prestar queixa, o vice-prefeito se apresentou na delegacia da cidade, afirmou ser homossexual e que tinha por hábito cumprimentar as servidoras com tapa nas nádegas. Frisou, porém, que fazia isso de forma respeitosa.

Duas testemunhas confirmaram a versão da faxineira, e o vice-prefeito foi preso. "Após análise dos fatos, a autoridade policial ratificou a prisão em flagrante do suspeito, que foi encaminhado ao sistema prisional e ficou à disposição da justiça", diz nota divulgada pela Polícia Civil.

Em nota enviada à reportagem, a prefeitura disse que a servidora e o vice-prefeito continuam cumprindo suas funções normalmente no Executivo e trabalharam nesta sexta (22).

"O caso está em sigilo e segredo de justiça. Caberá ao judiciário a palavra final. A atual administração municipal se colocou à disposição do fato ocorrido e que a verdade seja esclarecida", afirmou a prefeitura, no comunicado.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS