Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Veja o que mais provoca brigas e até mortes no trânsito

Fechadas, falta de seta e esbarrões, ligados a fatores como estresse, estão entre os principais motivos

Jornal A Tribuna | 04/03/2022 15:16 h | Atualizado em 04/03/2022, 15:52

Policiais e vítima que morreu com um tiro em uma briga de trânsito
Policiais e vítima que morreu com um tiro em uma briga de trânsito |  Foto: Reprodução TV Tribuna
 

Dia 14 de fevereiro deste ano: um caminhoneiro de 45 anos foi preso depois de agredir um idoso de 64 anos durante uma briga de trânsito, em Campo Grande, Cariacica.

Noite da última quarta-feira, 2: um motorista de aplicativo foi morto com um tiro após uma briga de trânsito no bairro Boa Vista I, na Serra. A vítima, Marcelo Elias de Souza, de 45 anos, seguia no sentido Vitória, para dar início ao trabalho quando tudo aconteceu. 

O assassino, que tem 26 anos, estava com o pai de 75 anos no carro, e confessou o crime.

Os dois casos, apesar de serem distintos, trazem uma reflexão e muitos questionamentos sobre os motivos que mais provocam brigas e até mortes no trânsito.

Buscando respostas, a reportagem de A Tribuna ouviu especialistas, que apontaram fatores emocionais, a exemplo do estresse, agressividade, intolerância, raiva, ataque de fúria, bem como reações causadas por problemas no trânsito, como esbarrões, fechadas, xingamentos, entre outros.

Diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), o médico Dirceu Rodrigues Alves explicou que os distúrbios apresentados por motoristas em função do estresse são acentuados, junto a outros fatores.

“Também temos sociopatas no trânsito. São indivíduos que não conseguem conviver na sociedade, que acham que só eles estão certos, e o mundo, errado. Diante de um gesto obsceno,  palavrão, fechada, qualquer coisa que o agrida, ele é capaz de reagir de uma maneira totalmente descontrolada”.

A diretora técnica do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES), Édina de Almeida Poleto, pontuou que, entre os motivos que provocam o início de discussões e brigas no trânsito, estão fechadas, colisões, falta de seta e infrações em geral. 

“Tem muitas pessoas que sentem raiva na hora, mas seguem em frente e passa. Outras, são movidas por outros fatores emocionais, como o estresse que estão carregando, e acabam cometendo atos ainda mais violentos, como vemos, de banalidade da vida humana”.

O titular da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito, delegado Maurício Gonçalves, pediu  que as pessoas não deixem de registrar boletins de ocorrência.

Ele saiu em defesa da educação no trânsito. “O condutor deve sempre colocar a segurança do trânsito acima do próprio direito dele”.


SAIBA MAIS


Principais motivos

  • Estresse, agressividade, raiva e ataque de fúria são exemplos de fatores emocionais que podem resultar em brigas, agressões e até mortes no trânsito após situações como uma fechada,  colisão, falta de seta e um esbarrão no retrovisor.  
  • Masculinidade tóxica pode levar os homens a se envolverem muito mais em brigas, como as de trânsito, pois ela incita que eles devam sempre ser brutos e violentos.
  • No caso de indivíduo com transtorno explosivo intermitente (TEI), de “pavio curto”, ele age por impulso. Apesar de geralmente ser gentil, pode explodir por qualquer motivo e se arrepender.

Como evitar brigas e discussões?

  • Não resolva nada de cabeça quente. Pense: “Vale a pena brigar?”
  • Cuidado com as palavras e gestos. 
  • Evite buzinar, piscar faróis ou forçar ultrapassagem. Lembre-se que alguém pode estar armado e o desfecho ser trágico. 

Fonte: Especialistas entrevistados.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS