Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Turista acusa instrutor de asa delta de importunação sexual durante voo

| 05/03/2021 18:08 h | Atualizado em 05/03/2021, 18:29

Imagem ilustrativa da imagem Turista acusa instrutor de asa delta de importunação sexual durante voo

Um instrutor de asa delta está sendo acusado de importunação sexual por uma turista de 28 anos. A jovem teria pedido ao instrutor que a levasse junto para um salto de asa delta que foi realizado na última quarta-feira (03), em Bertioga, litoral de São Paulo. Porém, durante o voo, o instrutor teria passado a mão nas coxas da jovem e ainda puxado sua mão na direção de seu órgão genital.

A turista compareceu à Delegacia Sede da cidade e relatou às autoridades que estava na praia, próximo ao bairro Jardim das Canções, com a irmã, quando o instrutor se aproximou para pegar o equipamento de asa delta.

Segundo o site G1, a jovem perguntou se o rapaz faria um voo, e se poderia ir junto, já que sempre teve vontade de ter a experiência. Ainda de acordo com a turista, o rapaz respondeu que realmente voaria, e falou que ela poderia ir com ele.

Durante o voo, ela afirma que o instrutor começou a apalpar suas coxas, e pegou a mão dela para apalpar o órgão genital dele. Em seguida, ao aterrissar na Praia de Itaguaré, ela relata que ele colocou o órgão genital para fora e pediu que ela fizesse coisas obscenas.

Ainda conforme o depoimento, o homem tentou beijá-la e abraçá-la, porém, durante todas as tentativas de importunação, ela se esquivou, mas ele continuava insistindo. Após o ocorrido, ela procurou a Polícia Civil para registrar a ocorrência.

O caso está sendo investigado como importunação sexual pela delegacia sede de Bertioga. A Lei Federal nº 13.718/2018, mais conhecida como Lei de Importunação Sexual, tornou crime "praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro", com pena que pode variar de um a cinco anos de prisão.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) confirmou que o caso foi registrado na tarde de quarta-feira (3) como importunação sexual pela Delegacia Sede de Bertioga. A polícia afirma que diligências estão em andamento visando ao esclarecimento dos fatos.

Questionada sobre o depoimento do suspeito, a Polícia Civil afirmou que o caso está sob segredo de Justiça, e que não pode passar mais detalhes.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS