X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Suspeita é de que incêndio em apartamento começou na fiação do ventilador de teto

| 02/03/2021 17:58 h | Atualizado em 02/03/2021, 18:44

Imagem ilustrativa da imagem Suspeita é de que incêndio em apartamento começou na fiação do ventilador de teto

A suspeita do Corpo de Bombeiros é que o incêndio, que atingiu um apartamento na orla da Praia de Itaparica, em Vila Velha, tenha se iniciado na fiação do ventilador de teto de um dos cômodos. No incidente, que aconteceu na tarde desta terça-feira (2), um quarto ficou destruído e um cachorro de porte pequeno morreu. 

Segundo o tenente Pennafort, dos Bombeiros, quatro pessoas estavam em casa na hora do incêndio: duas crianças, de 8 e 12 anos, a empregada e um marceneiro. Além do cachorro, ninguém se feriu e as chamas foram controladas rapidamente. 

Ainda de acordo com o tenente, o quarto atingido pelo fogo era o da menina de 12 anos e foi o único cômodo danificado no imóvel. Pennafort ainda contou que a criança percebeu uma fumaça preta saindo de dentro do armário, mas que vinha da fiação do ventilador de teto. 

Outro incêndio, mesma causa?

Apesar do laudo do Corpo de Bombeiros sobre o incêndio desta terça (2) só ficar pronto em cerca de 10 dias, a possível causa do incidente chamou a atenção pela semelhança com um outro, que foi causado por um defeito no ventilador de teto. 

Em outubro do ano passado, uma criança de 4 anos morreu após um incêndio em um apartamento no terceiro andar do edifício Pintor Fanzeres, na Praia do Canto em Vitória. De acordo com o laudo do Corpo de Bombeiros, emitido no dia 28 de dezembro de 2020, foi identificada uma degradação na fiação do circuito elétrico do quarto identificado como zona de origem das chamas.

"Diante dessas informações, foi possível identificar que a causa mais provável de início do fogo teria sido uma anomalia ocorrida após defeito no funcionamento do ventilador de teto, a partir de um travamento do seu eixo, onde, ao continuar tentando manter o funcionamento do motor, o calor gerado pelo circuito ocasionou o foco inicial do incêndio, que passou a consumir os materiais combustíveis existentes no cômodo", diz o documento.

O menino de 4 anos chegou a ser socorrido com vida do apartamento, mas morreu no hospital pouco mais de três horas após o incêndio. Uma idosa, o irmão da criança e uma mulher também foram resgatados e conseguiram sobreviver.

Fachada do Edifício Pintor Fanzeres após incêndio que matou menino de 4 anos.
Fachada do Edifício Pintor Fanzeres após incêndio que matou menino de 4 anos. |  Foto: Fábio Nunes/AT

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS