X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Roubos em torres de telefonia causam prejuízo de R$ 700 mil

| 09/08/2021 08:58 h | Atualizado em 09/08/2021, 12:22

Imagem ilustrativa da imagem Roubos em torres de telefonia causam prejuízo de R$ 700 mil

Roubos em 31 torres de uma operadora de telefonia causaram um prejuízo de R$ 700 mil e a paralisação dos serviços de internet e linhas telefônicas no Estado desde o começo de 2021. Segundo a Polícia Civil, duas pessoas foram detidas.

“Uma pessoa, 32 anos, foi detida, sendo o autor confesso do último desligamento, e um homem de 25 anos foi preso em flagrante, com quatro fontes HLD, acusado de receptar o produto roubado”, explicou a PC.

Fontes recuperadas pela polícia
Fontes recuperadas pela polícia |  Foto: Divulgação/ PCES
Seis torres foram desligadas em Cariacica, três em Domingos Martins, e duas em Guarapari, Itaguaçu, Atílio Vivácqua, Sooretama, Iconha e Mimoso do Sul.

Uma torre foi desligada em Vitória, Viana, Muniz Freire, Santa Maria de Jetibá, Itapemirim, Venda Nova do Imigrante e Marechal Floriano.

Ao todo, 31 fontes foram roubadas. Cada uma custa R$ 31 mil, ainda conforme a Polícia Civil.

Investigação

A empresa de telefonia denunciou os furtos para a polícia, que começou a investigar o caso. Na foto do perfil de um funcionário terceirizado, 32 anos, em uma rede social, os policiais viram um armário que é utilizado para guardar as fontes.

A PC foi até ele e o homem teria confessado a participação no furto de uma fonte em São Pedro, na capital. O acusado indicou um receptador, 25 anos, que foi preso em Viana por receptação qualificada. Com ele foram encontradas quatro fontes.

O terceirizado foi detido e está sendo investigado. "O de 32 anos não foi preso por não haver situação flagrancial, mas será investigado por furto qualificado no abuso de confiança em concurso de agentes, associação criminosa e por causar a interrupção do serviço de telefonia ou internet, cuja pena é duplicada em caso de calamidade pública", afirmou o delegado-titular da Delegacia de Segurança Patrimonial, Gianno Trindade.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS