X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Rapaz percebe golpe e toma celular de motoboy

No golpe, criminosos tentam conseguir imagens das vítimas, para aprovar financiamentos através de aplicativo de bancos ou corretoras

Redação Tribuna Online, com informações do UOL | 06/02/2022 13:54 h

Rapaz percebe golpe e toma celular de motoboy
Rapaz percebe golpe e toma celular de motoboy |  Foto: Reprodução/ Twitter
  

Um morador de Belo Horizonte, em Minas Gerais, quase foi vítima do conhecido como “golpe do motoboy" na última sexta-feira (06). O criminoso não teve sucesso, após a vítima, Paulo Gonçalves, de 26 anos, perceber que estava prestes a cair no golpe. O rapaz ainda conseguiu tomar o celular, que seria usado para ação criminosa, do suspeito.

Pelas redes sociais, Paulo contou como tudo aconteceu e que logo desconfiou da situação quando “uma floricultura inexistente disse que iria entregar um presente com remetente oculto”. Segundo ele, logo em seguida recebeu a visita de um suposto entregador em sua casa, que teria ido ao local com o pretexto de entregar o brinde. 

Segundo informações do UOL, assim que o homem chegou na casa de Paulo, ele entregou o celular para a vítima fazer o reconhecimento facial e receber a encomenda, nesse momento o jovem tomou o aparelho e ainda conseguiu filmar o golpista fugindo. 

De acordo com as informações do site, o "golpe do motoboy" ganhou força nos últimos meses e para atrair vítimas, golpistas fingem ser entregadores de comida ou presentes e após entregarem produtos não pedidos, dizem que precisam de uma selfie do suposto cliente para confirmar a entrega. Ao conseguir as imagens os criminosos conseguem aprovar financiamentos através de aplicativo de bancos ou corretoras.

O rapaz contou que trabalha como analista de testes de software e sempre muito preocupado com os próprios dados. Paulo  registrou o Boletim de Ocorrência na delegacia e entregou o celular, já desbloqueado, aos policiais. "Me preocupei com a minha segurança e em ter o máximo de provas possível, tirando print do Serasa, conversa pelo Whatsapp, SMS, tudo", declarou.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS