X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Policial Penal é preso suspeito de vender armas ilegais no ES

De acordo com as investigações, o agente penitenciário vendeu cerca de seis armas de forma ilegal

Redação Tribuna Online | 21/07/2022 14:54 h

Um policial penal, de 39 anos, investigado pela prática de comércio ilegal de armas de fogo, furto, estelionato e peculato, foi preso na manhã desta quinta-feira (21). A ação foi realizada pela Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Delegacia Regional (DR) de Colatina.

A investigação conduzida pela DR de Colatina teve início há cerca de seis meses, quando a informação de casos de furtos cometidos contra agentes penitenciários chegou ao conhecimento da Polícia Civil. As diligências contaram com a participação de policiais do Serviço Reservado do 8º Batalhão da Polícia Militar, além da Diretoria de Inteligência e da Corregedoria da Secretaria da Justiça (Sejus).

“Alguns servidores do Centro de Detenção Provisória de Colatina deram falta de pertences que deixaram dentro de seus carros, que ficavam no estacionamento da unidade prisional, enquanto eles estavam em serviço. Um dos servidores relatou que sumiram cheques e outro afirmou que deu falta, por exemplo, de uma arma de fogo. Nossa investigação apontou que os itens foram furtados e o suspeito é o agente detido nesta quinta-feira (21)”, explicou o titular da Delegacia Regional de Colatina, delegado Leonardo Ávila. 

Com o aprofundamento das investigações, a Polícia Civil descobriu que este mesmo servidor estava comercializando armas de fogo ilegalmente. Segundo os levantamentos, o servidor vendeu, pelo menos, seis armas de fogo de forma ilegal. Na manhã desta quinta-feira (21), os policiais também cumpriram um mandado de busca e apreensão na residência dele.

“Nós temos conhecimento de três pistolas registradas em nome dele e adquiridas legalmente, mas que não foram encontradas na residência. Questionado, o investigado afirmou que duas das armas foram colocadas à venda, e, a terceira, segundo ele, foi extraviada. Também existe a suspeita de que ele vendeu armas de terceiros”, relatou o delegado Leonardo Ávila. 

Ainda de acordo com as investigações, o servidor usou os cheques subtraídos para aplicar golpes e extraviou uma pistola pertencente à Secretaria da Justiça. O Inquérito Policial segue em andamento e será concluído nos próximos dias. O detido foi encaminhado à DR de Colatina e, após os procedimentos de praxe, conduzido para a Penitenciária de Segurança Média 1, no Complexo Penitenciário de Viana.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS