Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Polícia procura ao menos mais dois suspeitos de participar da morte de família

| 03/02/2020 07:03 h

Carro foi encontrado na Estrada do Montanhão
Carro foi encontrado na Estrada do Montanhão |  Foto: Reprodução/ TV Globo

A Polícia Civil de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, procura ao menos duas pessoas suspeitas de envolvimento na morte de uma família, na madrugada da última terça-feira (28).

Na quarta (29), Ana Flávia Menezes Gonçalves, 24, filha e irmã de uma das vítimas, e sua namorada, Carina Ramos, 31, foram presas por suspeita de envolvimento no crime.

Na madrugada do dia 28, o comerciante Romuyuki Gonçalves, 43 anos, a mulher Flaviana, 40, e o filho Juan, 15, foram encontrados carbonizados no carro da família, um Jeep Compass, no limite entre São Bernardo e Santo André.

Uma testemunha afirmou ter visto um homem de 1,90 metro na casa das vítimas, em um condomínio de Santo André, e disse que ele teria ajudado a colocar pacotes pesados no porta-malas do carro que seria incendiado horas depois.

Imagens de câmeras mostraram um outro homem do lado de fora do condomínio. Ele segurava dois capacetes.

No sábado, em nota a Secretaria de Segurança Pública disse que "diligências estão em andamento para identificar e prender outros envolvidos"

As duas suspeitas devem prestar novo depoimento nesta semana. Segundo apurou a reportagem, Carina caiu em contradição ao ser ouvida na última sexta-feira.

Na sexta, a polícia chegou a anunciar o indiciamento das duas, mas sábado afirmou que iria esperar pelo fim do inquérito.

Também na noite de sexta, a polícia voltou à casa da família no condomínio Morada Verde para perícia. A reportagem apurou que a perícia usou o reagente químico luminol e que teria encontrado manchas de sangue no imóvel que não podem ser vistas a olha nu. Manchas já haviam sido encontradas no dia do crime na residência.

OUTRO LADO
O advogado de defesa Lucas Domingos afirmou que irá se reunir com mais dois advogados para estudar o inquérito policial e se articular para realizar a defesa de Ana Flávia e Carina. "A tese da defesa é a de inocência", afirmou, acrescentando que as duas suspeitas afirmam ser inocentes.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS