X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pastor é acusado de aplicar calote por meio de falsa promessa de emprego

| 18/08/2021 15:08 h | Atualizado em 18/08/2021, 15:34

Um pastor, de 52 anos, foi preso em Cariacica acusado de crime de estelionato. De acordo com a polícia, o suspeito que também é empresário, possui uma rede de óticas em Sergipe e abriu empresas com dados de outras pessoas para não pagar pelas mercadorias. 

A prisão foi realizada por policiais da 4ª Delegacia Regional de Cariacica e da Polícia Civil de Sergipe, na manhã de terça-feira (17), no bairro Campo Grande. Contra o pastor havia em aberto um mandado de prisão preventiva.

Segundo a polícia, o suspeito veio para o Espírito Santo há cerca de cinco anos e escolheu Cariacica, como local para ficar e abrir três óticas que, possivelmente, eram usadas para continuar praticando crimes de estelionato. Em Sergipe, informa a PC, ele havia praticado o golpe contra três vítimas.

De acordo com as investigações, o homem atraía pessoas, sempre de natureza muito humilde, com uma proposta de emprego. Após passarem por entrevistas para preencher possíveis vagas na rede, os candidatos tinham dados pessoais recolhidos pelo estelionatário, que, a partir daí, conseguia abrir novos CNPJ em nome dessas pessoas.

“Após abertura da pessoa jurídica, o golpista realizava compras com diversos fornecedores a fim de abastecer a rede de óticas e não quitar as dívidas. Dessa forma, as vítimas somente tomavam conhecimento das compras após serem procuradas pelas empresas responsáveis pela cobrança dos materiais adquiridos pelo homem”, conta a titular do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio da PCSE, delegada Luana Guedes.

Além dessa prática, a polícia informa ainda que o acusado ainda usava os próprios funcionários como laranjas, colocando-os como sócios de empresas sem conhecimento deles, se antecipando para casos sofresse possíveis processos judiciais, a partir dos golpes aplicados.

Segundo a polícia, para convencer os funcionários, ele argumentava que a pessoa seria o braço direito dele na empresa, mesmo não apresentando experiências compatíveis com as funções que seriam exercidas.

“O golpista convencia o funcionário a assinar documentos, se colocando como sócias, sempre com o pretexto de estar com pressa para realizar outras atividades. Isso as vítimas só descobriram depois de serem acionadas como também donas da empresa, durante o processo de investigação do caso”, ressaltou a delegada Luana Guedes.

O delegado Augusto Marques, plantonista da 4ª Delegacia Regional de Cariacica, informou que também há investigações sobre possíveis vítimas do pastor no Estado.

"O suspeito está sendo investigado por golpes no Estado de Sergipe. Demos apoio operacional aos policiais de Sergipe e vamos colaborar com as apurações da PC/SE, inclusive em possíveis golpes praticados no Estado”, disse.

O pastor foi recambiado ao estado de Sergipe, na madrugada desta quarta-feira (18), ficando à disposição da Justiça.

Pastor foi enviado de volta ao estado de Sergipe, onde as investigações acontecem
Pastor foi enviado de volta ao estado de Sergipe, onde as investigações acontecem |  Foto: Divulgação Polícia Civil

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS