Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Operação para conter conflito de milícias no Rio termina com dois mortos

A área era dominada pela milícia comandada por Danilo Dias Lima, o Tandera, o criminoso mais procurado do Rio

Agência Folhapress | 23/12/2021 15:37 h

Operação para conter conflito de milícias no Rio termina com dois mortos
Operação para conter conflito de milícias no Rio termina com dois mortos |  Foto: Divulgação
 

Uma ação da Polícia Militar para conter um conflito de grupos milicianos na noite desta quarta-feira (22) terminou com um policial militar e um suspeito mortos em Seropédica, na Baixada Fluminense.

Policiais do 24º BPM (Queimados) fizeram uma incursão na localidade conhecida como Canto do Rio. A área era dominada pela milícia comandada por Danilo Dias Lima, o Tandera, o criminoso mais procurado do Rio. Contudo, foi invadida pelos paramilitares da maior milícia do Rio, atualmente comandada Luis Antonio da Silva Braga, o Zinho.

Os dois grupos travam uma disputa violenta desde a morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko, irmão de Zinho, durante operação da Polícia Civil em junho.

Durante a troca de tiros, o cabo da PM Devid de Souza Matos, 42, foi morto. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Municipal Pedro 2º, em Santa Cruz, mas não resistiu aos ferimentos. Matos era casado e estava na PM há dez anos.

Segundo a Polícia Militar, um suspeito também foi morto no local. A Polícia Civil afirmou que ele foi identificado como Patrick Brasil.

Após o confronto, parte dos criminosos fugiu para a comunidade dos Jesuítas, em Santa Cruz, na zona oeste da capital. Policiais do 27º BPM (Santa Cruz) fizeram uma operação na favela e conseguiram prender diversos suspeitos.

No total, a PM afirma ter prendido 19 pessoas nas duas ações. Já a Polícia Civil computou 23 pessoas levadas para delegacias na quarta -sete delas foram presas em flagrante por porte ilegal de armas, receptação e constituição de milícia privada.

Foram apreendidos três fuzis, duas pistolas, nove carros, diversos equipamentos, carregadores, roupas táticas e coletes à prova de balas.

Ainda segundo a Polícia Civil, a investigação das duas mortes ficará a cargo da DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense).

Tandera e Ecko foram aliados e, juntos, expandiram os domínios da maior milícia do Rio, originada na zona oeste da cidade, para diversos pontos da Baixada Fluminense, conquistando áreas nos municípios de Itaguaí, Seropédica e Nova Iguaçu.

Contudo, Tandera rompeu com Ecko em dezembro de 2020. Seus aliados passaram a controlar as áreas da milícia na Baixada Fluminense, além da comunidade do Jesuitas, de onde o miliciano é oriundo.

Após a morte de Ecko, Tandera atacou áreas antes dominadas pelo rival, tomando o conjunto habitacional de Manguariba, em Paciência, também na zona oeste. Nos últimos meses, contudo, Zinho vem reagindo e tomando áreas do rival.

A milícia de Zinho tomou o controle de Jesuitas e de Manguariba no começo de novembro. Antes já tinham conquistado os bairros de Dom Bosco e Cabuçu, em Nova Iguaçu, no fim de outubro.

Há uma semana foi a vez dos milicianos de Zinho invadirem a cidade de Seropédica. Em meio à tomada das comunidades da área, eles chegaram a usar uma carrega para bloquear a Estrada Rio-São Paulo, que corta todo o município. 

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS