Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Mulher diz que foi agredida pelo companheiro após denunciar estupro de outro homem

Caso aconteceu em uma praia no norte da capital de Santa Catarina

Agência Folhapress | 31/12/2021 14:33 h

Mulher diz que foi agredida pelo companheiro após denunciar estupro de outro homem
Mulher diz que foi agredida pelo companheiro após denunciar estupro de outro homem |  Foto: Divulgação
 

Uma mulher diz que foi estuprada em Florianópolis e, ao contar ao companheiro, teria sido agredida por ele. Os dois homens foram presos.

Segundo a vítima contou à Polícia Civil, ela e o companheiro brigaram na madrugada de terça-feira (28), em uma praia no norte da capital de Santa Catarina. Após a discussão, ela voltou sozinha para casa, quando foi abordada por um homem.

A mulher, que tem cerca de 40 anos, teria sido levada para a casa desse homem, de 35 anos, onde o estupro teria acontecido.

Quando voltou para sua residência, ela contou o que aconteceu ao companheiro. Ele, que também tem cerca de 40 anos, a teria agredido.

A Polícia Militar foi chamada e o casal foi levado para a 7ª Delegacia de Polícia da Capital, em Canasvieiras.

Após o depoimento da vítima, a Polícia Civil foi à casa do suspeito de tê-la estuprado. No local, encontraram a canga de praia da mulher.

O companheiro da vítima foi preso por violência doméstica e o outro homem, por estupro. O Judiciário decretou prisão preventiva dos dois. As defesas de ambos não foram localizadas até a publicação desta reportagem.

A Polícia Civil diz, em nota, que aguarda os resultados dos laudos periciais que estão sendo realizados na roupa da vítima e dos exames de corpo delito, feitos na mulher e no homem suspeito pelo estupro.

Efetivo reforçado Para a alta temporada, a Polícia Civil de Santa Catarina reforçou a equipe de atendimento às vítimas de violência doméstica no norte da ilha.

Agora, a delegacia de Canasvieiras passou a contar com a Sala Lilás, um espaço voltado para mulheres, crianças, adolescentes e idosos que sofreram algum tipo de violência.

O reforço ocorre porque a capital é um tradicional destino turístico durante o verão, o que faz o trânsito ficar caótico, dificultando o deslocamento até a 6ª Delegacia de Polícia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso, na Agronômica, no centro da capital.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS