X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Polícia

Mulher diz em depoimento que Daniel Alves a "machucou muito"

Em depoimento à Justiça espanhola, vítima que acusa o jogador de agressão sexual detalhou o ocorrido


Imagem ilustrativa da imagem Mulher diz em depoimento que Daniel Alves a "machucou muito"
Daniel Alves |  Foto: Reprodução/Twitter

Em depoimento à Justiça espanhola, a mulher que acusa Daniel Alves de agressão sexual detalhou o ocorrido. O jornal La Vanguardia teve acesso ao relato feito na sexta-feira (3).

Após os 16 minutos, segundo as câmeras de segurança, Alves saiu do banheiro e momentos a denunciante também saiu. Ela se voltou para a prima, dizendo angustiada: 'Vamos embora daqui'. Na saída, quando esperavam para pegar os casacos na chapelaria, a jovem de 23 anos começou a chorar enquanto repetia 'ele me machucou muito'", diz o depoimento da mulher.

"Ao passar pela porta de saída para a rua, um dos porteiros perguntou-lhe o que se passava e, percebendo que a moça não passava bem, pediu para ela retornar e alertou o responsável pela balada, que estava no mesmo corredor e conseguiu que a jovem verbalizasse que havia sido estuprada. Foi então que o responsável ligou para os Mossos, e o chefe de turno que estava de plantão naquela noite foi até o local", concluiu o trecho.

Oito testemunhas do caso deram depoimento nesta sexta-feira. Todos reforçaram pontos da versão apresentada pela mulher de 23 anos que acusa Daniel Alves de tê-la estuprado e agredido fisicamente no banheiro de uma área vip da boate em Barcelona no fim do ano passado.

Entre as testemunhas estavam uma amiga e uma prima da denunciante. Elas também estavam na boate e disseram à Justiça ter sido abordadas pelo jogador na área vip "com intenções aparentemente sexuais". Ao UOL, a advogada Ester García López, que representa a denunciante, já havia dito que o jogador "tocou uma outra mulher".

Próximos passos do caso

A defesa de Daniel Alves entregou nesta semana o recurso, pedido para que o jogador seja investigado em liberdade. A defesa tenta provar que a chance de o jogador deixar a Catalunha e voltar para o Brasil é nula. O pedido ainda não foi avaliado e a acusação tem até o dia 9 de fevereiro para contestar o documento.

Não há data para o julgamento. Se condenado por agressão sexual com violação, ou estupro, Daniel Alves pode pegar até 12 anos de prisão. A pena aumenta caso haja outros crimes.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: