Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Marido que matou mulher a facadas durante briga por futebol é solto

| 25/02/2021 21:03 h

Imagem ilustrativa da imagem Marido que matou mulher a facadas durante briga por futebol é solto

O empresário Leonardo Souza Ceschini, preso no começo do mês acusado de matar a esposa Érica Fernandes Ceschini a facadas em São Paulo, foi solto nesta quinta-feira (25). Após confessar o assassinato, o crime foi registrado como homicídio qualificado e o homem responde em liberdade.

A juíza Giovanna Colares, da 5ª Vara Criminal, responsável pela decisão, afirmou que Leandro havia sido preso preventivamente e, nesse caso, a denúncia contra ele deveria ser apresentada em até cinco dias após a conclusão do inquérito policial — não foi o que aconteceu e por isso a soltura, segundo informações do site R7.

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) quer que o homem responda por feminicídio — crime mais grave com punições maiores. Mas, até a última decisão da Justiça, o caso foi registrado como homicídio qualificado, permitindo Leandro responder fora da prisão.

De acordo com os investigadores, Leandro contou que a briga ocorreu por causa de futebol. O marido alegou ter sido agredido pela vítima primeiro, que lhe teria golpeado com uma faca. Ele, contudo, disse ter conseguido pegar o objeto, desferindo diversos golpes contra a mulher.

A vítima, Érica Fernandes Ceschini, torcia para o Palmeiras e comemorou vitória do clube no fim de semana. Na madrugada do dia 31 de janeiro, os dois teriam se desentendido e começado as agressões. Lenadro é torcedor do Corinthians.

Com lesões no abdómen, o autor foi socorrido ao Hospital do Mandaqui, onde permaneceu internado sob escolta policial, tendo sido autuado por homicídio qualificado.

O caso ocorreu na Rua Rubens de Souza Araújo, onde o casal vivia com seus filhos gêmeos pequenos.

Policiais Militares foram acionados para atendimento da ocorrência e, no local, encontraram a vítima caída no chão da cozinha. Embora tenham chamado o serviço de emergência, ela já estava morta. A perícia da Polícia Civil foi realizada e o caso foi registrado no 33º DP (Pirituba)

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS