X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Justiça autoriza prisão de procurador que espancou colega de trabalho

O homem aparece em vídeo agredindo a procuradora-geral Gabriela Samadello, de 39 anos

Agência Folhapress | 23/06/2022 06:50 h

Nas imagens ele aparece chutando a procuradora, que está no chão
Nas imagens ele aparece chutando a procuradora, que está no chão |  Foto: Reprodução/Redes sociais
 

A Justiça autorizou a prisão preventiva do procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, que foi flagrado em vídeo agredindo a procuradora-geral Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39, em Registro, no interior de São Paulo.

A decisão atende a um pedido da Polícia Civil. A mulher foi agredida na tarde de segunda-feira (20), em cenas que foram filmadas por funcionários e ganharam forte repercussão nas redes sociais.

A Polícia Civil disse que não sabe informar o nome do advogado de Macedo. A reportagem tentou, na terça (21) e nesta quarta, sucessivos contatos por telefone com o procurador, sem sucesso. Também o advogado dele não foi localizado.

Após o registro do boletim de ocorrência no 1º Distrito Policial de Registro, na segunda (20), Macedo foi liberado pela polícia.

Questionada pela reportagem, a Polícia Civil informou, em nota, que não fez o flagrante na ocasião porque não estavam presentes todas as partes envolvidas. Os policiais militares que conduziram Macedo à delegacia também não presenciaram o ato violento.

Ainda segundo a nota da polícia, "havia pontos a serem esclarecidos, testemunhas a serem ouvidas, para melhor elucidação dos fatos, bem como o delegado não teve acesso ao vídeo das agressões na ocasião do registro da ocorrência, que posteriormente circulou nas mídias sociais".

Por esses fatores, diz o comunicado, a decisão do delegado foi por registrar a ocorrência sem a prisão, "ouvir os envolvidos presentes na delegacia, no intuito de iniciar as investigações, para cabal apuração dos fatos".

Ainda conforme a nota, a decisão da polícia na segunda-feira não foi a de solicitar medida protetiva à vítima "pois o caso analisado não se enquadra como violência doméstica ou familiar contra a mulher, também não se aplicando ao caso a Lei 11.340/06 (Lei Maria da Penha)".

O delegado Daniel Vaz Rocha pediu a prisão do acusado na 1ª Vara Criminal da cidade. De acordo com o documento protocolado por Rocha, o acusado apresentou "sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe a perigo a vida delas, e consequentemente, a ordem pública."

O vídeo e as imagens da agressão e o depoimento da procuradora-geral foram incluídos no inquérito policial.

Em nota, o governador Rodrigo Garcia (PSDB) se solidarizou com a vítima e disse que atitudes violentas serão devidamente investigadas.

"A agressão do procurador de Registro a uma colega não ficará impune. A Polícia Civil acaba de pedir a prisão do agressor Demétrius Macedo. Que a Justiça faça a sua parte e puna todo e qualquer covarde que agrida uma mulher", disse.

O Tribunal de Ética e Disciplina da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de São Paulo determinou a abertura de um processo disciplinar sobre o caso, que terá 90 dias para ser concluído. A entidade informou que pediu a suspensão preventiva do suspeito durante esse período.

A agressão ocorreu na sede da prefeitura de Registro, local onde ambos trabalham.

O vídeo que circula nas redes sociais tem 17 segundos. Quando a procuradora já está ferida no chão, outras duas mulheres aparecem na sala para ajudá-la. Elas tentam conter o agressor, que também as agride e xinga a colega.

Na terça-feira (21), o afastamento do procurador pelo período de 30 dias foi publicado no Diário Oficial do Município de Registro.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS