X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Juiz acusado de vender sentença deixa prisão e vai para casa

| 06/08/2021 11:55 h

o juiz Alexandre Farina Lopes conseguiu através de uma liminar um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ)
o juiz Alexandre Farina Lopes conseguiu através de uma liminar um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) |  Foto: Divulgação

Acusado de vender sentença, o juiz Alexandre Farina Lopes deixou o ginásio de esportes do Quartel do Comando Geral (QCG) da Polícia Militar do Espírito Santo, em Maruípe, Vitória, onde estava detido na madrugada desta sexta-feira (6) e já está em casa. 

O magistrado foi solto após conquistar um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) no final da tarde de quinta-feira (5). A decisão de soltar Alexadre Farina foi tomada pelo ministro Joel Ilan Paciornik. 

Farina deixou o local por volta das 2h30, desta sexta. Ele estava detido junto com o também juiz do Fórum da Serra, Carlos Alexandre Gutmann, que permanece no quartel da PM, uma vez que não conseguiu habeas corpus, até o momento. 

Em nota, os advogados de defesa de Farina classificaram a decisão do STJ como "técnica e ponderada". 

"O ministro acatou o pedido da defesa, que sempre sustentou que não há motivos suficientes que justifiquem a medida extrema da prisão preventiva. O juiz Farina sempre se colocou à total disposição do Tribunal e não chegou sequer a ser ouvido", diz trecho da nota.

Em nota, a Polícia Militar confirmou que Alexandre Farina não se encontra mais custodiado na área militar.

Relembre

Na última quinta-feira (29) os desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-ES), decretaram a prisão preventiva dos juízes Alexandre Farina e  Carlos Alexandre Gutmann, do Fórum da Serra. Os dois são investigados por suposta venda de sentença.

Eles se apresentaram no QCG de Maruípe naquele mesmo dia e desde então estavam detidos em salas separadas dentro do ginásio do lugar, que é destino a prisões especiais como a de magistrados. Farina conseguiu decisão da Justiça para ser liberado, enquanto que Gutmann segue detido.

A suposta fraude envolvendo os juízes foi descoberta após a Justiça autorizar acesso ao conteúdo do telefone apreendido judicialmente do ex-policial civil Hilário Frasson, que teria mantido conversas pelo WhatsApp com Farina, negociando a compra da sentença para favorecer o empresário do ramo imobiliário Eudes Cecato.

As negociações teriam ocorrido ao longo do mês de fevereiro de 2017, e a sentença foi proferida no dia 3 de março do mesmo ano. Segundo a denúncia, Farina e Gutmann atuaram em conluio para, em troca de vantagem econômica, atender aos interesses do empresário.

O MP-ES solicitou a prisão preventiva dos dois por estarem supostamente interferindo nas investigações.

Confira a nota na íntegra da defesa de Alexandre Farina

"Nesta quinta-feira, dia 5 de agosto de 2021, a defesa do juiz Alexandre Farina Lopes obteve importante vitória, com liminar deferida pelo ministro Joel Ilan Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em decisão técnica e ponderada pela liberdade imediata do magistrado.

O ministro acatou o pedido da defesa, que sempre sustentou que não há motivos suficientes que justifiquem a medida extrema da prisão preventiva. O juiz Farina sempre se colocou à total disposição do Tribunal e não chegou sequer a ser ouvido.

Com a decisão, foram reestabelecidas medidas cautelares decretadas inicialmente pelo Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJES) e fixada uma nova medida alternativa para proibição de contato entre os corréus.

A defesa técnica reafirma o interesse do juiz Farina em contribuir com a instrução processual, com o respeito devido ao Tribunal de Justiça do Espírito Santo, na mais absoluta certeza de que sua inocência será comprovada".

Almeida Castro, Castro e Turbay Advogados
Rafael Lima Advogados

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS