X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Homem morre eletrocutado depois de invadir casas em Viana

| 15/06/2020 12:25 h

Uma história que assustou moradores de Nova Bethânia, em Viana, na noite de domingo (15). Um homem ainda não identificado invadiu várias casas do bairro, pulando muros, e acabou morrendo eletrocutado ao encostar em uma cerca que estava dentro de uma chácara.

A confusão começou por volta das 22h. “Eu estava chegando da igreja, ele pulou o portão e atravessou meu quintal, depois desceu pela rua. Chamamos a polícia e só depois ouvimos os gritos dele pedindo socorro, mas quando chegamos lá ele já estava morto, com os dedos queimados agarrados no arame”, contou o pedreiro Maciel Tonoli, de 36 anos.

Antes de entrar na chácara onde morreu, o homem pulou em outros quintais da rua, e chegou a tirar a bermuda, que ficou jogada no chão.

“Ele estava pulando no quintal de todo mundo. Apareceu do nada, só de cueca. Pode ser que ele estava fugindo de alguém, mas não tem como saber. Ficamos todos assustados, nunca vimos uma cena como essa”, disse o universitário Jerry Francisco, de 20 anos.

Chácara onde a vítima morreu eletrocutada
Chácara onde a vítima morreu eletrocutada |  Foto: Júlia Afonso

A chácara estava vazia. Na manhã de ontem, o dono esteve no local, e se surpreendeu ao saber da notícia. “Eu estava no hospital com a minha esposa, que está doente. Não estava sabendo de nada, é um choque para mim uma coisa dessas”, afirmou o pedreiro Nilson Ramos, de 55 anos.

Questionado sobre a cerca elétrica na chácara, ele negou. “Nunca tive cerca elétrica aqui no quintal. Desço com o fio de luz da minha casa para o galinheiro, mas ele é todo encapado e desce só para acender uma lâmpada”, garantiu o pedreiro.

Os vizinhos ficaram chocados com a cena. “Você com mulher e filho dentro de casa e de repente alguém pular no seu quintal, é um susto. Além disso, ficamos surpresos de ver que do nosso lado tinha um arame que poderia eletrocutar outras pessoas e até crianças”, desabafou Maciel.

No local, ninguém reconheceu a vítima. O corpo foi levado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória para ser reconhecido.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS