X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Homem com 47 passagens pela polícia mata ex-mulher com 16 tiros

Sarah Pereira tinha dois filhos com o acusado: uma bebê de 2 meses e um menino de 4 anos

Fábio Grellet, da agência Estado | 26/07/2022 18:17 h

A mulher tinha dois filhos com o acusado
A mulher tinha dois filhos com o acusado |  Foto: Arquivo/AT
 

Um rapaz de 26 anos, com 47 passagens pela polícia e dez ordens de prisão em aberto, invadiu o apartamento da ex-mulher, de 24 anos, e a matou com 16 tiros. O crime aconteceu na Lapa (região central do Rio), às 4h20 desta terça-feira (26). O acusado foi preso no final da manhã.

Queven da Silva e Silva tem dois filhos com Sarah Pereira - uma bebê de 2 meses e um menino de 4 anos. Eles haviam rompido o relacionamento e ela morava com a mãe, uma irmã e os dois filhos em um prédio na esquina das ruas Riachuelo e Tadeu Kosciusco. No momento do crime, a mãe não estava em casa - a irmã de Sarah testemunhou o crime, mas saiu ilesa, e as duas crianças estavam em outro cômodo e também não foram atingidas pelos tiros.

Segundo a mãe de Sarah, Beatriz, Silva já havia agredido e ameaçado a ex-mulher outras vezes - na agressão mais recente, deu uma facada no pescoço de Sarah. Ela chegou a ser internada, mas não denunciou Silva à polícia. Em chamada de vídeo dias atrás, ele teria anunciado que mataria a ex-mulher.

Na madrugada desta terça-feira, Silva saiu de casa, no Morro dos Prazeres (região central do Rio) e chegou atirando à frente do prédio em que a ex-mulher morava. Depois invadiu o imóvel, atirou contra a mulher e fugiu. Ela morreu na hora. Ele foi preso pela Polícia Militar por volta das 11h30 na Rua Almirante Alexandrino, em Santa Teresa, a cerca de quatro quilômetros do local do crime.

Segundo a PM, o rapaz confessou o crime e contou que foi de mototáxi até a casa da ex-mulher, e ao sair de lá jogou a arma em um valão no Rio Comprido (outro bairro do centro do Rio). Silva foi conduzido à Delegacia de Homicídios do Rio, responsável pela investigação.

Silva tinha 47 passagens pela polícia, por crimes como homicídio, roubo e tráfico de drogas, e dez ordens de prisão - estava foragido desde 2016. A mãe de Sarah disse ter previsto o crime: "Eu sempre falava, mas hoje em dia ninguém escuta ninguém Ela tinha terminado, não queria mais nada com ele. Cadeia é pouco para ele".

A reportagem não localizou representantes de Silva para se manifestar sobre o caso.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS