Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Dondoni é condenado a 24 anos por mortes

| 06/11/2018 09:30 h | Atualizado em 06/07/2021, 15:48

Depois de mais de 10 anos de espera por justiça, o representante comercial Wagner José Dondoni de Oliveira foi condenado nesta segunda-feira (5) a cumprir 24 anos e 11 meses de prisão pela morte de três pessoas em um acidente de carro na BR-101, em Viana.

Dondoni foi condenado por três homicídios consumados, uma tentativa e uso de documento falso, com pena total de 25 anos e quatro meses, no entanto foi reduzido o tempo em que ficará preso, já que cumpriu cinco meses. O juiz também acatou o pedido do Ministério Público Estadual da prisão preventiva do réu, que foi decretada de forma imediata.

O representante comercial foi acusado de estar dirigindo embriagado, fazendo zigue-zague na pista quando voltava de uma boate em Guarapari. No caminho, bateu de frente com um veículo conduzido pelo cabeleireiro Ronaldo Andrade.

Foi dele a maior perda: seus dois filhos, Rafael Scalfoni Andrade, de 13 anos, e Ronald Andrade, de 3 anos, além de sua mulher, Maria Sueli Costa Miranda, 29.

Às 9h51 de ontem, o júri popular, formado por sete membros, sendo cinco mulheres, iniciou os trabalhos no Fórum de Viana. Ao todo, oito pessoas foram ouvidas – sete delas testemunhas.

Durante todo o tempo, a defesa de Wagner Dondoni tentou convencer os jurados de que o representante comercial não assumiu o risco de matar ao volante e que o Ministério Público Estadual não tinha provas que comprovassem que ele tinha a intenção de matar a família.

Nos momentos finais, em que defesa e acusação tiveram uma hora para cada um apresentar a réplica e a tréplica, o promotor de Justiça do caso, Fábio Langa Dias, listou vários fatores que comprovam o dolo eventual.

Entre os quais, o estado de embriaguez, as manobras perigosas que fazia durante o trajeto, o fato de ter ignorado o alerta de socorrista de uma ambulância, em que ele quase bateu, de que ele não tinha condições de dirigir.

Também citou o fato de Dondoni ter provocado um primeiro acidente, sem que prestasse socorro.

Por volta das 00h25 de hoje, a sentença foi proferida pelo juiz Romilton Alves Vieira Junior.

Ronaldo Andrade. Pai e marido das vítimas do caso Dondoni.
Ronaldo Andrade. Pai e marido das vítimas do caso Dondoni. |  Foto: Eliane Proscholdt

"Não vou falar que é um sonho porque na realidade foi um pesadelo esses 10 anos para mim, mas agora sim, com essas folhas na mão eu estou super feliz", afirma Ronaldo. 

Defesa de Dondoni
Defesa de Dondoni |  Foto: Eliane Proscholdt/AT
Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS