Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Circulação de armas nas ruas preocupa a polícia

Delegado Fábio Pedroto diz que esse é o motivo para que aconteçam mortes como a do motorista de aplicativo Marcelo Elias na última quarta-feira

Jornal A Tribuna | 04/03/2022 17:04 h

“Estamos vivendo a banalização das armas e do valor da vida humana”, diz Fábio Pedroto
“Estamos vivendo a banalização das armas e do valor da vida humana”, diz Fábio Pedroto |  Foto: Arquivo/AT
 

“Estamos vivendo a banalização das armas e do valor da vida humana”. Para o titular do 1º Distrito Policial de Vitória, Fábio Pedroto, esse é o motivo para que aconteçam mortes como a do motorista de aplicativo Marcelo Elias de Souza, 45, durante briga de trânsito.

Ele ressaltou a preocupação com o aumento do número de armas de fogo em circulação, incluindo com pessoas no trânsito. “Temos mais armas em circulação do que tínhamos há alguns anos.  Isso significa mais armas que podem ser roubadas ou vendidas para serem usadas para fins criminosos. Por isso, é preciso reforçar o controle de armas no País”.

No caso do crime contra o motorista de aplicativo, que aconteceu na noite da última quarta-feira, 2, na Serra, o delegado afirma que o desfecho certamente seria diferente se o jovem que atirou não estivesse com uma arma em mãos. 

“Foi uma colisão simples, em que a arma de fogo foi empregada em uma situação banal. A ação de atirar na vítima foi uma resposta desproporcional”.

No momento do crime, Marcelo seguia com seu veículo atrás do carro em que estavam Christian Malta Santos, de 26 anos, e o pai, de 75 anos. Um vídeo mostra o momento em que eles param em um cruzamento e o veículo de Marcelo bate atrás do carro do autor do disparo.

A imagem mostra pai e filho saindo do carro para falar com Marcelo. Depois de um tempo, Marcelo tenta sair com seu veículo do local. Os homens, que estavam ao lado do carro, desviam.

Pedroto citou que o jovem confessou ter atirado no motorista alegando que seria para proteger o pai, já que afirma que Marcelo teria jogado o veículo contra ele. “Chamou a atenção o fato de Christian ter tirado a vida de alguém, saído do local e ter visitado a mãe no hospital”, disse.

O delegado frisou que a arma, calibre 38, não tinha registro, e Christian não tinha autorização para porte de arma. “Ele alegou que tinha a arma para se proteger de desafetos, pois estaria sendo ameaçado”.

Segundo Pedroto, ele não demonstrou remorso, mas disse que sabia que tinha feito algo errado e que teria de pagar.


ENTENDA


Crime

  • O motorista de aplicativo Marcelo Elias de Souza, de 45 anos, foi morto na noite da última quarta-feira, 2, no bairro Boa Vista I, na Serra.
  • O autor do crime, Christian Malta Santos, 26 anos, contou que estava no carro com o pai quando a vítima colidiu na traseira do veículo deles. 
  • Após o acidente, o pai, de 75 anos, desceu do carro para conversar com Marcelo. Foi quando a discussão começou. 
  • Ainda segundo o depoimento do atirador, a vítima teria arrancado com o carro na tentativa de atropelar o pai do acusado. Foi então que ele desceu do veículo e deu um tiro nas costas do motorista.

Prisão

  • Pai e filho fugiram após o crime, mas foram encontrados pelo sistema de videomonitoramento de Vitória, na região de Maruípe, na capital. 
  • Com o acusado foi encontrado a arma do crime, um revólver calibre 38. Durante a abordagem, o pai do jovem contou aos policiais que tinha uma arma guardada em casa, no bairro Garoto, em Vila Velha, mas que tinha a documentação.
  • Os policiais foram à residência, onde encontraram uma espingarda (com registro) e, também maconha, balança de precisão e material para embalo de drogas.  
  • Pai e filho foram levados para a Delegacia Regional de Vitória. O pai dele foi liberado após depoimento. 

Autuação

  • Christian foi autuado em flagrante pelos crimes de homicídio qualificado por motivo fútil e tráfico de drogas. Ele passou por audiência de custódia na quinta-feira, 3, onde teve a prisão em flagrante convertida para preventiva.

Fonte: Polícias Militar e Civil.


PERFIL DA VÍTIMA


Marcelo Elias de Souza foi morto na última quarta-feira, 2
Marcelo Elias de Souza foi morto na última quarta-feira, 2 |  Foto: Divulgação
  

Marcelo Elias de Souza

  • Idade: 45 anos.
  • Profissão: Motorista de aplicativo.
  • Morava em Morada de Laranjeiras, na Serra, com a mulher e filhos.
  • Deixou Dois filhos, de 12 e 25 anos.
  • No dia do crime, saiu de casa para trabalhar e, no trajeto, aconteceu a colisão traseira. Em seguida, ele foi assassinado por um jovem que estava no carro da frente.
  • Era conhecido por amigos e familiares como um homem trabalhador e que fugia de discussões.
  • De acordo com amigos, passou a trabalhar como motorista de aplicativo para conseguir uma renda.
Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS