X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Casal é denunciado por estuprar e matar filho de 2 anos em Vila Velha

Denúncia foi apresentada pelo Ministério Público do Espírito Santo nesta terça-feira

Redação Tribuna Online | 02/08/2022 21:53 h

Karolina Teixeira da Silva e Maycon Milagre da Cruz estão presos desde o dia 6 de julho
Karolina Teixeira da Silva e Maycon Milagre da Cruz estão presos desde o dia 6 de julho |  Foto: Fabio Nunes/ AT
 

O Ministério Público do Estado denunciou nesta terça-feira (03) o casal Maycon Milagre da Cruz, 35 anos, e Karolina Teixeira da Silva, 31, pais do menino Jorge Teixeira da Silva, de 2 anos e oito meses. Eles estão presos desde o dia 6 de julho pela morte do menino, que foi estuprado e acabou morrendo no dia 05 de julho.

Com a denúncia, os dois vão responder pela prática dos delitos de matar alguém com emprego de tortura ou meio cruel, com impossibilidade clara de defesa da vítima, e manter conjunção carnal com menor de 14 anos. 

Relembre o caso

O menino Jorge Teixeira, de apenas 2 anos e 8 meses, morreu no dia 5 de julho e estava com sinais de violência sexual. Os pais da criança foram presos e autuados pelos crimes de estupro de vulnerável com resultado tortura e morte. 

De acordo com a Polícia Civil, a criança morreu, na madrugada de terça-feira (5), no Hospital Estadual Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves (Himaba), em decorrência de uma suposta pneumonia, mas que haveria nítidos sinais de abuso sexual. 

Ele foi internado, na última sexta-feira (1º), com um quadro gripal e diarreia. Os médicos investigavam uma possível pneumonia, mas ele foi liberado e voltou a ser internado nesta terça-feira (5), quando o menino acabou não resistindo a uma parada cardíaca.

Aos policiais, inclusive, os trabalhadores do hospital relataram desconfiança com o comportamento dos pais, que teriam demonstrado "perceptível indiferença com a morte do filho".

Enquanto aguardavam o término da autópsia, os policiais foram informados pelo médico legista que a criança tinha sido mesmo vítima de um estupro e que a causa de sua morte não estava relacionada com a pneumonia ou qualquer problema respiratório. 

Na verdade, ele foi vítima de choque séptico causado por violência sexual, que deixou lesões internas no corpo. Além destes, o médico também encontrou ferimentos no rosto, região do peito, nas costas, braço esquerdo e coxa esquerda, que podem ter sido feitos por cigarro.

O menino também tinha uma mancha roxa de cinco centímetros na cabeça. 

Após receberem todas as informações, a polícia conduziu o casal para prestar depoimento. No entanto, durante o procedimento, o pai e a mãe afirmaram não saber que teria acontecido com o filho entre a noite do dia 3 de julho e o dia 4, tendo apresentado versões vagas e "imprecisas".

Leia Mais: Pais são presos acusados de tortura, estupro e morte de menino de 2 anos

Justiça decreta prisão de casal acusado de estuprar e torturar filho de 2 anos

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS