X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cartilha mostra sinais de quando o namorado vira inimigo

Promotora de Justiça fez levantamento para identificar parceiro que pode virar um agressor no futuro

Francine Spinassé e Taynara Nascimento, Do Jornal A Tribuna | 06/08/2022 14:01 h

A  Coordenadora do Núcleo de Gênero do MPSP, Valéria Diez, é autora do livro “Lei Maria da Penha”
A Coordenadora do Núcleo de Gênero do MPSP, Valéria Diez, é autora do livro “Lei Maria da Penha” |  Foto: Kadidja Fernandes/AT
 

Em meio aos altos índices de violência contra a mulher, a promotora de Justiça Valéria Diez Scarance Fernandes, do Ministério Público de São Paulo (MPSP),   trouxe ao Estado uma cartilha para orientar jovens e adolescentes a identificar um namorado que pode virar um agressor no futuro. 

“Percebemos que as mulheres jovens, especialmente adolescentes, estavam se envolvendo em relações abusivas, e nessa idade  essa relação abusiva  tende a evoluir mais rapidamente e, infelizmente, para o feminicídio”, contou Valéria Diez que é  Coordenadora do Núcleo de Gênero do MPSP e autora do livro  “Lei Maria da Penha: o Processo Penal no Caminho da Efetividade”.  

A “Cartilha Namoro Legal” contém  sete dicas sobre namoro, sem falar sobre violência. Mas na verdade, ela  trata dos sete estágios de evolução de uma relação abusiva com a  finalidade de conscientizar mulheres jovens e também mães.

Para a promotora, a violência sempre começa muito sutil,   disfarçada de atos de cuidado, de   amor, como pequenas demonstrações de ciúmes.

“Uma das dicas é  'A chave da sua vida', que trata da independência. Só entra e  sai de uma casa quem tem a chave. Logo, só decide a própria vida quem tem a chave da sua  vida nas  mãos. A mulher não deve abandonar  os  estudos ou o trabalho, mesmo que  o parceiro diga  que  ela não precise mais trabalhar.”

Um outro item é resumido em  “Fera não vira príncipe”, que faz  uma referência a esses contos de fadas que, segundo a promotora, ensinaram uma grande mentira às mulheres,  que elas  são capazes de transformar qualquer pessoa e qualquer homem com  amor.

“Muitas meninas e   mulheres permanecem anos em relações violentas acreditando nessa mentira, nessa história que nos foi contada. Um homem violento não deixa de ser violento em razão do amor de uma mulher”, declarou. 

A cartilha ainda traz dados dizendo que as  mulheres jovens são as que mais sofrem. No Brasil, quase metade das mulheres entre 16 e 24 anos sofreram alguma forma de violência em 2018.

Por esse motivo, ela foi pensada para orientar namoradas ou namorados em situação de risco, mas as dicas servem para qualquer pessoa, de qualquer idade, principalmente  agentes de segurança.

Valéria Diez,  promotora de Justiça - “Posso mudar o que está por vir”

A Tribuna: Nos conte um pouco da sua história?

Valéria Diez: Sou promotora de Justiça desde 1997 e   há várias décadas tenho trabalhado no enfrentamento à violência contra a mulher. O meu trabalho em São Paulo consiste na  conscientização e na prevenção.

Qual foi a motivação para criar a cartilha?

Nesses dezesseis anos de Lei Maria da Penha, nós já evoluímos muito. Microviolências, hoje, não são mais aceitas. Um desses projetos que nós desenvolvemos no Ministério Público de São Paulo é a Cartilha Namoro Legal, quando percebemos que as mulheres jovens   estavam em relações abusivas.

O que te inspira a combater a violência doméstica? 

Acho que meus   olhos brilham quando lembro que posso fazer a diferença.  O que me motiva é pensar o seguinte: Eu não posso mudar o que já aconteceu, mas eu posso mudar o que está por vir. Se eu puder ajudar uma mulher, se eu puder ajudar uma família, meu trabalho já valeu a pena. 

Qual é o cenário atual da mulher vítima de violência? 

A tendência da mulher vítima de violência é, durante o relacionamento, dar mais uma chance ao seu autor de violência. Até que, de uma vez por todas, ela se conscientize que ele não vai mudar. Não é  só um perfil em São Paulo ou do   Espírito Santo, é o perfil mundial.  

Como avalia o preparo do policial   que atende à vítima?

É impossível trabalhar sem formação específica, sem uma capacitação. A violência contra a mulher é diferente de todas as formas de violência. O autor tem o perfil de bom cidadão. Se as autoridades não tiverem conhecimento e não tiverem uma capacitação para compreender essas questões da violência, a atuação não vai ser rígida.

SAIBA MAIS

Manual do namoro legal

1 - Confie na atitude

São as atitudes que mostram quem a pessoa é de verdade. Mesmo que diga coisas lindas, o que faz é que importa.

Lembre-se sempre: críticas devem ser construtivas e isoladas, porque se elas forem constantes, geram insegurança e atingem sua autoestima.

Por fim, imponha limites. Quem gosta de verdade aceita, apoia e incentiva, não anula a outra pessoa. 

2 - Seu espaço é só seu

Não faça malabarismos para agradar crush ou namorado. 

Reserve um tempo só para você, não deixe seus amigos e amigas de lado, mantenha  atividades que  gosta e esteja com quem é importante para você. 

3 - Código da boa namorada

No namoro, você não é obrigada a seguir uma lista de comportamentos permitidos ou proibidos para garotas. Muito menos impostos por namorados. 

Respeite seus  limites e aprenda a dizer “não” quando a resposta em seu coração for “não”.

4 - A chave da sua vida

É  importante não abrir mão daquilo que te dá o poder de decisão: trabalho, estudos, independência.

Quem não tem para onde ir, acaba ficando no relacionamento abusivo por falta de opção. Aí, o namoro deixa de ser legal, deixa de ser uma escolha e se torna uma prisão.

5 - Não vá morar na lua

Família, amigas e amigos são  armas secretas para  situações difíceis. Pessoas leais às vezes dizem o que você precisa ouvir, não o que você quer ouvir. Mantenha-as sempre por perto e reflita sobre seus conselhos.

6 - Saia dessa montanha russa de emoções

Um dia, você está feliz lá nas estrelas e, no outro, está triste. Você percebe que o amor mudou. Explode de ciúmes e depois pede desculpas. 

Para tudo! Altos e baixos só são divertidos no parque de diversões.  

7 - Fera não vira príncipe com “seu amor”

Garotas foram  enganadas por séculos. Ensinaram que cabe a elas transformar, com seu amor, qualquer um em príncipe encantado.

Fonte: Cartilha #Namorolegal.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS